Política & Justiça

Secretário da Cultura cita ministro de Hitler em pronunciamento

O secretário do Ministério especial da Cultura, Roberto Alvim, citou trechos de uma fala do ministro da Propaganda da Alemanha Nazista de Hitler, Joseph Goebbels, para anunciar o Concurso Nacional de Artes do governo federal.

diario da manha
Foto: Reprodução

O secretário do Ministério especial da Cultura, Roberto Alvim, citou trechos de uma fala do ministro da Propaganda da Alemanha Nazista de Hitler, Joseph Goebbels, para anunciar o Concurso Nacional de Artes do governo federal.

O discurso de Alvim foi divulgado na última quinta-feira (16/01) e muito semelhante com um discurso de Joseph Goebbels ,em 8 de maio de de 1933, no hotel Kaiserhof, em Berlim.” e constado no livro “Joseph Goebbels: Uma biografia”, do historiador alemão Peter Longerich.

No vídeo postado; com trilha sonora de Wagner, músico favorito de Hitler, Alvim disse: “a arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional, será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional, e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes do nosso povo – ou então não será nada”. E tudo com pronunciamento com Wagner de trilha sonora

Agora veja um discurso de Joseph Goebbe, um dos idealizadores do nazismo: “A arte alemã da próxima década será heroica, será ferreamente romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande páthos e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada.” 

Nesta sexta-feira(17/01 o Secretário da Cultura disse em post do facebook que a semelhança entre as frases apenas uma “coincidência retórica”e completou: “Não há nada de errado com a frase”.

Artistas e políticos

Representantes da classe artística repudiam o discursos de Alvim na redes soiais. emtre eles: D-2, Zélia Duncam, Emicida, Lardete Coutinho, Felipe Andreoli, José de Abreu, Gregório Duvivier, Mika Lins, Leon Martins, entre outros.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta sexta-feira (17) que o secretário nacional de Cultura, Roberto Alvim, deveria ser afastado do cargo após o discurso. Em uma rede social ele escreveu: “O secretário da Cultura passou de todos os limites. É inaceitável. O governo brasileiro deveria afastá-lo urgente do cargo”.

Outros políticos também se manifestaram, em repúdio, sobre a declaração do secretário, entre eles, os deputados federais:

David Miranda (PSOL-RJ), MarcelVan Hatten (NOVO-RS), Maria do Rosário (PT-RS), Marcelo Freixo (PSOL-RJ, Líder do Partidop no Senado, Randolf Rodrigues (REDE-AP), entre outros.

Com informações do G1 e Correio Braziliense

Comentários