Política & Justiça

Em entrevista ao Estadão Tabata Amaral critica vídeo do ENEM

A deputada federal chamou o vídeo produzido pelo MEC de "piada de mau gosto". Segundo ela, a peça publicitária "tem um desconhecimento absurdo da realidade brasileira"

diario da manha
Foto: Gabriela Biló/Estadão

Em entrevista ao Estadão/Broadcast Político nesta segunda-feira (11) a deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) criticou a peça publicitária realizada pelo Ministério da Educação (MEC) para promover o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), previsto para ocorrer em 1º e 8 de novembro deste ano. Ela chamou o vídeo de “piada de mau gosto”, conforme destaca a matéria do Estadão.

A reportagem aponta, que para a deputada, a campanha “tem um desconhecimento absurdo da realidade brasileira”. Em outro trecho da entrevista, Tabata Amaral diz: “aqueles estudantes, com quartos nobres, internet, celular moderno, essa não é a realidade do estudante brasileiro”.

Na produção, os jovens sugerem que a pandemia não pode impedir que o estudantes se preparem para a prova, como destaca a matéria. Durante as considerações, ela disse que vai lutar pelo adiamento do exame.

Tabata Amaral também ressaltou, como enfatiza o Estadão, que está na hora de dar respostas mais efetivas em relação às atitudes do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). “Não podemos mais nos contentar em responder com notinhas nas redes sociais. Tanto Judiciário quanto Legislativo têm instrumentos para investigar cada uma das acusações”, argumentou durante a entrevista.

O Estadão também acrescenta que existe na Corte um inquérito que investiga quem foram os responsáveis pelo protesto pró-golpe que ocorreu no dia 19 de abril, que teve a participação do presidente.

Comentários