Política & Justiça

STJ pede que Ministério Público investigue suposto vazamento de operação

"Operação Placebo" tem origem em investigação que apura desvios de recursos para ajudar as emergências dos Estados com relação à pandemia do novo coronavírus. Um dos alvos da ação foi o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC)

diario da manha
Foto: Reprodução

O suposto vazamento de diligências referentes à busca e apreensão que foram realizadas ontem (26) no Rio de Janeiro deve ser investigado. O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Benedito Gonçalves, solicitou a apuração ao Ministério Público Federal nesta quarta-feira (27). As informações são da agência Estadão Conteúdo e foram publicadas pela revista IstoÉ.

De acordo com a reportagem, a “Operação Placebo” tem origem em investigação que apura desvios de recursos para ajudar as emergências dos Estados com relação à pandemia do novo coronavírus. Um dos alvos da ação foi o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), como aponta a matéria.

Segundo destaca o site, a operação é vista pelo governador como uma forma de perseguição política do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por meio da Polícia Federal (PF).

Conforme a publicação, na última segunda-feira (25) em entrevista concedida à Rádio Gaúcha a deputada federal Carla Zambelli (PSL) havia ressaltado que a PF estava prestes a deflagrar operações que buscavam investigar irregularidades de governadores durante a pandemia.

De acordo com a reportagem, o ministro do STJ, Benedito Gonçalves, apontou que se o vazamento for confirmado será preciso responsabilizar o autor da conduta ilícita penalmente para que a integridade das instituições não seja prejudicada, segundo o ministro.

Comentários