Política & Justiça

Sindicatos são defendidos por Rodrigo Maia

Durante weconferência neste sábado (4) o presidente da Câmara enfatizou que a reforma trabalhista, aprovada em 2017, enfraqueceu as entidades que representam os trabalhadores, que hoje passam por dificuldades para subsidiar ações

diario da manha
Foto: José Cruz/Agência Brasil

Durante webconferência promovida pelo Grupo Prerrogativas neste sábado (4) o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ressaltou que é preciso uma “reorganização” da função dos sindicatos do Brasil. Ele enfatizou que a reforma trabalhista, aprovada em 2017, enfraqueceu as entidades que representam os trabalhadores, que hoje passam por dificuldades para subsidiar ações. As informações são da Agência Brasil.

“A votação da lei trabalhista que eu conduzi teve um papel importante. De fato, a legislação brasileira, não estimulava o emprego e não protegia o trabalhador. Havia um poder excessivo nos sindicatos, mas o outro lado [patronato] formou maioria e levou o pêndulo para um lado que, agora, precisa ser reorganizado em um ponto de equilíbrio”, explicou Rodrigo Maia.

“Acho que a legislação trabalhista foi modificada de forma correta, mas acho que na questão dos sindicatos ela foi dura demais”, destacou.

“Não podemos nos esquecer de que o principal ato inicial quando Hitler virou chanceler [da Alemanha] foi acabar com os sindicatos”, analisou.

Além disso, o presidente da Câmara também apontou que é preciso “construir um caminho” que permita às organizações financiar-se.

“Não tenho dúvida nenhuma de que os sindicatos têm que ter condições de financiar seu trabalho de representação na sociedade. Não com aquele mesmo volume de financiamento que gerava uma distorção e que acabou gerando uma reação da sociedade, mas é bom termos os sindicatos participando da nossa vida democrática. Hoje, muitos deles enfrentam dificuldades, o que não é bom”, completou Maia.

Comentários