Política & Justiça

Pandemia de Covid-19 inviabiliza realização de assembleia extraordinária, presencial da AGM

O pedido de adiamento foi feito pelo grupo de prefeitos que havia convocado a assembleia para o dia 12 de março

diario da manha

Ficou para o dia 25 de março, às 9h, a assembleia geral extraordinária da Associação Goiana dos Municípios (AGM), que aconteceria na próxima sexta-feira, 12, para a destituição da atual diretoria e convocação de eleições na associação.

O adiamento se deu em razão das medidas restritivas de combate à Covid-19, informa o advogado publicista Cleone Meirelles. “A pandemia inviabilizou a realização da assembleia-geral que debaterá, entre outros assuntos, a convocação de eleição dos cargos da diretoria da AGM, que seria presencial”, explica o advogado que representa os prefeitos que convocaram a assembleia.

Além de adiar a assembleia, o grupo de prefeitos propôs mudança no modelo, de presencial para virtual. “A eleição virtual, além de respeitar as regras sanitárias impostas pela pandemia, vai propiciar uma maior transparência e garantir a participação de todos os associados, haja vista que os prefeitos não irão precisar se deslocar até a capital”, informou Meirelles.

O chamamento de eleição ocorre depois que 150 prefeitos se movimentaram contra a prorrogação por mais um ano da diretoria eleita para o biênio 2019/20, alterando inclusive o estatuto da entidade, sem o consentimento dos associados. A atual diretoria é presidida por Paulo Sérgio Rezende, ex-prefeito de Hidrolândia, e seis diretores que já não possuem mandato de prefeito.

Comentários