Política & Justiça

Áudios inéditos apontam envolvimento direto de Bolsonaro em rachadinhas

Os áudios foram publicados nesta segunda-feira (05) por um portal de notícias.

diario da manha

Nesta segunda-feira (05), foram publicadas gravações inéditas de Andrea Siqueira Valle, ex-cunhada de Bolsonaro, que apontam envolvimento direto do presidente em esquema de rachadinhas, durante o período em que foi deputado federal. Três reportagens na coluna da jornalista Juliana Dal Piva, no UOL, mostram o que os áudios dizem.

O primeiro texto diz que o irmão de Andrea foi demitido por se recusar a devolver a maior parte do salário de assessor. “O André deu muito problema porque ele nunca devolveu o dinheiro certo que tinha que ser devolvido, entendeu? Tinha que devolver R$ 6.000, ele devolvia R$ 2.000, R$ 3.000. Foi um tempão assim até que o Jair pegou e falou: ‘Chega. Pode tirar ele porque ele nunca me devolve o dinheiro certo'”, diz Andrea.

A segunda reportagem informa que a esposa e a filha de Fabrício Queiroz se referem a Bolsonaro como “01”. A esposa de Queiroz diz que Bolsonaro “não vai deixar” ele voltar a atuar como antes, em referência ao cargo que ele ocupava como assessor de Flávio Bolsonaro.  

A terceira reportagem aponta que Fabrício Queiroz não atuava sozinho na tarefa de recolher salários. Segundo a ex-cunhada de Bolsonaro, um coronel da reserva do Exército, ex-colega do presidente, recolheu os salários dela quando a mesma constava como assessora do gabinete de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

A coluna diz ainda que, “ao ser informado sobre as gravações de Andrea Siqueira Valle, o advogado Frederick Wassef, que representa o presidente, negou ilegalidades e disse que existe uma antecipação da campanha de 2022.”

Os áudios são de outubro de 2019, período em que Queiroz estava escondido na casa do advogado da família Bolsonaro, em Atibaia, no interior de São Paulo.

Comentários