Política & Justiça

Vice-governador articula escoamento da produção goiana até Porto do Rio de Janeiro

Lincoln Tejota esteve na capital carioca para conhecer operação do Porto da Triunfo Logística. Objetivo é viabilizar corredor logístico ferroviário que facilite o transporte de mercadorias do Porto Seco de Anápolis até a via marítima carioca, gerando mais uma rota de escoamento

diario da manha
Fotos: André Costa/Vice-governador esteve no Porto do Rio de Janeiro, onde conheceu as operações.

O vice-governador de Goiás, Lincoln Tejota, cumpriu agenda no Rio de Janeiro nesta terça-feira (14), para discutir a viabilidade de um corredor logístico ferroviário entre os dois estados, a fim de facilitar o transporte da produção goiana. O objetivo é fazer com que a carga saia do Porto Seco de Anápolis e chegue diretamente até o Porto do Rio, onde a Triunfo Logística realiza operações portuárias. Tejota participou da reunião junto com o assessor Paulo Aguiar, além de representantes da Triunfo, do Porto Seco de Anápolis e da Companhia Docas.

Para operacionalizar essa alternativa de escoamento, o grupo de trabalho busca definir estratégias para a conexão das operações entre as empresas que administram a ferrovia.

“No que depender do Governo de Goiás, esse projeto se tornará realidade. Nosso estado está numa posição estratégica e com certeza vamos desenvolver um protagonismo muito forte nos próximos anos. Iniciativas como essa, com certeza, contribuem para o alcance desse lugar de destaque”, afirmou o vice-governador.

Segundo o CEO da Triunfo, Vinícius Pimenta, a empresa possui estrutura para atender essa demanda. “Goiás tem um grande potencial, está diversificando cada vez mais suas atividades e será de grande valia ter mais um canal para escoamento. Aqui temos condições de atender essa necessidade”, garantiu.

Para Tejota, ter mais uma alternativa para transporte da carga significa mais competitividade. “A regionalização do desenvolvimento é prioridade para o governador Ronaldo Caiado e para mim. Temos feito isso nas mais diversas áreas, como saúde, segurança e também na economia. Aprimorar a logística atrai investidores e gera benefícios para os goianos. Queremos que o Rio seja mais um porta da produção goiana para o mundo. Além da modalidade rodoviária e das operações da Ferrovia Norte-Sul, previstas para o ano que vem, só temos a ganhar com mais essa rota”, opinou.

Após a reunião, o vice-governador esteve no Porto, onde conheceu as instalações da Triunfo. A empresa funciona 24 horas por dia e, no ano passado, bateu recorde de exportação, com mais de dois milhões de toneladas transportadas para o exterior.

Leia também:

Comentários