Política & Justiça

Aparecida de Goiânia despenca no ranking dos municípios

.

diario da manha

Nos últimos dias, a divulgação de dois rankings que medem a excelência da gestão municipal mexeu com o humor do prefeito de Aparecida de Goiânia, cidade da região Metropolitana, Gustavo Mendanha (sem partido). O primeiro deles, o Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF), divulgado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro, apontou uma queda expressiva na avaliação dos indicadores do município de Aparecida de Goiânia. A cidade, que ostentava a 15ª posição no índice Firjan em 2016, último ano do segundo mandato de Maguito Vilela, despencou mais de 230 posições e passou a ocupar o 249º lugar no ranking nacional em 2021. O estudo avalia quatro indicadores: Autonomia, Gastos com Pessoal, Investimentos e Liquidez. A leitura dos resultados é bastante simples: a pontuação varia entre 0 e 1, sendo que quanto mais próxima de 1 melhor a gestão fiscal do município. O resultado de 2021 leva em consideração os números de 2020. O baixo volume de investimentos no município foi o responsável pela colocação ruim da cidade no ranking. Na última segunda-feira (22/11) foi divulgado o Ranking de Competitividade dos Municípios, um estudo do Centro de Liderança Pública, que avalia 65 indicadores, organizados em 13 pilares temáticos. Nesse ranking, que começou a ser medido no ano passado e chega à segunda edição neste ano, Aparecida de Goiânia caiu sete posições e agora ocupa a 209ª colocação no ranking geral. Na região Centro-Oeste, a cidade administrada por Gustavo Mendanha está em 13º lugar, atrás de Goiânia, que é a primeira colocada da região, Rio Verde (8ª colocada), Jataí (11ª) e Catalão (12ª). Aparecida perdeu 21 posições na dimensão Instituição, que é composta por pilares como Sustentabilidade Fiscal e Funcionamento da Máquina Pública. Na dimensão Sociedade, composta por pilares como acesso à saúde, acesso à educação, segurança e meio ambiente, a cidade caiu seis posições.

Fio Direto

Impossível
Em Goiás, são muitos os pré-candidatos ao Senado Federal nas próximas eleições para uma única vaga. Nos bastidores, a avaliação é que, embora os possíveis candidatos afirmem que disputarão a eleição de qualquer jeito, há outros elementos que pesarão na decisão. Eleições proporcionais e participação no próximo governo, são alguns deles. “Não é possível ter cinco chapas majoritárias em Goiás”, avaliam.

Parcimônia
Informações que chegam lá das bandas do Paço Municipal dão conta de que o prefeito Rogério Cruz (Republicanos) continua convicto de que a reeleição do governador Ronaldo Caiado (DEM) é a melhor opção para Goiás. No entanto, o chefe do executivo goianiense estaria preocupado em não atropelar o correligionário deputado João Campos, que busca viabilizar sua candidatura ao Senado.

Proximidade
O governador Ronaldo Caiado (DEM) disse que os mutirões que serão realizados pelo Governo de Goiás nas diversas regiões do Estado vão servir de termômetro para o governo adequar suas ações. “Ao trabalhar mais perto do povo, se traz um diagnóstico mais preciso, sem teses de gabinete. Se vê a demanda real e aumenta a chance de acerto em 99%”, afirmou.

Iris Rezende
Nesta quarta-feira (14/11) será realizado na Igreja Evangélica de Campinas, localizada na Rua 234, no Setor Coimbra, às 19h30, um culto memorial em ações de graças pela vida e missão do ex-governador de Goiás e ex-prefeito de Goiânia, Iris Rezende Machado.

Mutirama
O parque Mutirama, idealizado e construído por Iris Rezende durante seu primeiro mandato de prefeito de Goiânia (1966-1969), vai levar o nome do ex-prefeito. O projeto, aprovado em segunda votação na Câmara Municipal, segue agora para sanção do prefeito Rogério Cruz. Cassado em 17 de outubro de 1969 pela ditadura militar, Iris não pôde inaugurar o parque que havia construído.

Dificultou
Em Goiás, a filiação de Bolsonaro ao PL de Flávio Canedo e Magda Mofatto pode inviabilizar a ida de Gustavo Mendanha (sem partido) para a legenda e frustrar uma possível candidatura sua ao governo de Goiás pela sigla. É que ficou acertado com o comando nacional do PL que não haverá coligações nos estados que não sejam para priorizar a reeleição de Jair Bolsonaro.

Deputados querem GO-330 como Rodovia Marília Mendonça
Os deputados Lissauer Vieira (PSB), presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), e Bruno Peixoto (MDB), líder do governo na Casa, apresentaram projeto de lei para denominar a GO-330, no trecho que liga as cidades de Cristianópolis a Catalão, de Rodovia Marília Mendonça, em homenagem à cantora goiana falecida recentemente.

Em suas justificativas, os parlamentares ressaltam que Marília Mendonça, considerada a rainha da sofrência, trouxe visibilidade e orgulho para o estado de Goiás e que suas composições contribuíram para o empoderamento feminino. O projeto será analisado pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação da Alego.

Reconhecida por sua simpatia e simplicidade, durante a pandemia, a cantora foi exemplo de solidariedade e caridade, ao realizar inúmeras e vultosas doações para os mais carentes. A homenagem, dizem os deputados, seria uma forma de reconhecimento às contribuições que Marília proporcionou ao povo goiano.

Linha cruzada

O Ministério Público de Goiás, via da promotora de justiça Leila Maria de Oliveira, recomendou à Câmara Municipal de Goiânia a adoção de medidas administrativas para regulamentar o uso dos veículos oficiais. A guarda dos veículos deverá ser feita nas dependências da casa, sendo impedido que isto ocorra em garagem residencial.

A utilização também deverá ocorrer, preferencialmente, em dias úteis, no horário de funcionamento do órgão, salvo para desempenho de atividades de interesse público fora do horário comercial. A recomendação foi endereçada ao presidente da Casa, vereador Romário Policarpo (Patriota). Foi dado prazo de 30 dias para o cumprimento.

Comentários