Política & Justiça

Com aprovação de 64,5%, Caiado caminha para vitória no primeiro turno

Governador lidera disputa, distante de Gustavo Mendanha e Perillo, segundo Instituto Paraná. Gestão caracterizada por aumento de gastos sociais, queda da criminalidade, combate da corrupção, abertura de hospitais e clínicas, defesa da vacinação contra covid-19 e ampliação da geração de empregos pode ter impactado nos números positivos

diario da manha

Os programas sociais e a integridade da atual gestão, sem escândalos e estável, podem garantir a vitória do  governador Ronaldo Caiado (UB) no primeiro turno das eleições de outubro. Conforme sondagem do Instituto Paraná, ele lidera a disputa pelo Governo de Goiás com 40,8% das intenções de voto.

A pesquisa foi divulgada na segunda-feira, 20, em sites como revista “Veja” e “Antagonista”. Outro bom número do gestor é sua aprovação de 64,5%. Ele tem a maior aprovação já mensurada por um governador de Goiás, desde os números divulgados pelo Datafolha, em 1998, quando 82% aprovavam a gestão do então governador Maguito Vilela (MDB).

Um governo bem avaliado, de acordo com a Teoria Geral das Pesquisas de Opinião, costuma refletir nos números para a disputa eleitoral. Especialistas em marketing eleitoral, comunicação política e ciência política consultados pelo DM apontam que a gestão caracterizada por aumento de programas sociais na pandemia, queda da criminalidade, combate da corrupção, abertura de hospitais e clínicas, defesa da vacinação contra covid-19 e ampliação da geração de empregos pode ter impactado nos números positivos pró-Caiado.

O resultado dos demais pré-candidatos corrobora a possibilidade das eleições de 2022 repetirem 2018, quando Caiado venceu no primeiro turno. Em segundo, conforme o Instituto Paraná, aparece Gustavo Mendanha (Patriota), que registra 21%, quase a metade de Caiado. O ex-governador Marconi Perillo (PSDB) surge em seguida com 14,6%. Na sequência, Vitor Hugo (PL) tem 7,7%. Edigar Diniz (Novo) e Wolmir Amado (PT) estão respectivamente com 1,5% e 1,2%. A pesquisa é semelhante às sondagens anteriores de institutos como Brasmarket ou mesmo Paraná, com favoritismo do gestor do União Brasil. A análise numérica aponta cenário de estagnação para a oposição, que tem pelo menos cinco candidaturas, mas pouco ofensivas, conforme os números. A tendência é que as eleições federais – para presidente da República – não influenciem o jogo eleitoral de Goiás, repetindo tradicional cenário independente que caracteriza o Estado.

O estudo do Instituto Paraná ouviu presencialmente 1540 eleitores em 60 municípios de Goiás. Está registrado sob o número GO-00766/2022. 


Aprovação

O governador Ronaldo Caiado tem aprovação de 64,5% dos entrevistados frente aos 30,1% que desaprovam.

A pesquisa avaliou a gestão entre ótimo/boa (44,4%), regular (35,3%) e ruim (19,2%).

Rejeição

O ex-governador Marconi Perillo lidera a rejeição, com 50% dos eleitores aptos a não votarem nele em hipótese alguma. Major Vitor Hugo tem rejeição de 29,4%. Caiado (26,2%), Wolmir Amado (23,4%), Gustavo Mendanha (20,5%) e Edigar Diniz (16,3%) também foram avaliados quanto a rejeição eleitoral.

Marconi e Waldir lideram disputa para Senado


A pesquisa do Instituto Paraná fez também sondagem para o Senado e trouxe resultados mais acirrados do que o pleito ao governo.

Os números indicam uma disputa aberta: Marconi (PSDB) lidera com 27,5%, seguido por Delegado Waldir (UB), com 17,3%. João Campos (Republicanos) tem 8,7%. Zacharias Calil (UB) aparece com 8,2%. Alexandre Baldy (PP) é citado por 4,9%, seguido por Luiz do Carmo (PSC), com 3,2%. O deputado estadual Lissauer Vieira (PSD) tem 2,1%.

Comentários