Política & Justiça

“Missão é de lealdade a Caiado e ao União Brasil”

Deputado federal, presidente do partido em Goiânia e vice-presidente no Estado ressalta que o governador está correto quando diz que nome do candidato da base ao Senado deve ser construído a partir de entendimento entre os partidos aliados

diario da manha
Delegado Waldir: disputa ao Senado e apoio à reeleição do governador em 2022

O deputado federal Delegado Waldir, do União Brasil, em entrevista ao Jackson Abrão Entrevista, quadro do jornal O Popular, falou da sua pretensão de concorrer à vaga de Senador da República nas eleições de outubro próximo e que espera decisão do TSE sobre a possibilidade do lançamento de candidaturas avulsas para a Câmara Alta. Para Waldir, não há dúvidas de que o tribunal vá liberar essas candidaturas, já que a doutrina e a jurisprudência autorizam tal disputa.

De acordo com o deputado, que foi duas vezes o mais votado para a Câmara Federal em Goiás, não há pressão sobre o governador Ronaldo Caiado, pré-candidato à reeleição, para que seja escolhido um nome para a vaga de senador na chapa majoritária governista. Segundo ele, Caiado acerta quando diz que a escolha do nome que vai disputar a cadeira do Senado como candidato oficial da sua chapa deve ser decidido a partir de uma ampla discussão com os partidos aliados da base.

“Estive com o governador Ronaldo Caiado em Palmeiras de Goiás neste domingo (19/06) e quando o indaguei sobre o Senado, ele me disse: ‘delegado Waldir, essa é uma decisão que não cabe a mim. Eu já escolhi o vice-governador e quero dar oportunidade a todos aqueles que queiram ser candidatos que tenham essa possibilidade’. E eu já fiz esse convite para essa composição. Vamos discutir”, explicou Waldir.

Perguntando que caminho deve seguir, caso não seja permitida a candidatura avulsa e não seja ele o escolhido da base para concorrer ao Senado, Delegado Waldir soou democrático e disse que não tem esse tipo de preocupação. O deputado lembrou do seu histórico de lealdade a Ronaldo Caiado e do empenho que ambos tiveram pela fusão do DEM e PSL.

Lealdade a Caiado
Segundo Waldir, ele chegou a ser convidado pelo ex-governador Marconi Perillo (PSDB) para ser o candidato ao Senado numa possível chapa majoritária encabeçada pelo tucano, assim como também foi procurado pelo ex-prefeito de Aparecida de Goiânia e candidato do Patriota, Gustavo Mendanha, com a mesma proposta, mas que, em virtude da sua relação com Caiado, não cogitou nenhuma das hipóteses.

“Eu tenho uma lealdade ao governador Ronaldo Caiado, uma lealdade ao presidente do União Brasil, Luciano Bivar. Eu vejo que o Ronaldo Caiado tem uma preocupação social muito grande e por isso eu tenho orgulho de estar fazendo parte desta gestão”, explicou.

Primeiro turno
De acordo com Waldir, caso a disputa para o governo de Goiás se dê entre Ronaldo Caiado e Gustavo Mendanha, a eleição pode terminar em primeiro turno com a vitória do pré-candidato do União Brasil. Ele avalia, no entanto, que se o ex-governador Marconi Perillo realmente decidir disputar o governo, aí a disputa se intensifica um pouco mais. “Uma eleição com apenas os dois (Ronaldo Caiado e Gustavo Mendanha), eu diria que a eleição se resolveria no primeiro turno. Caso Marconi decida se candidatar, aí seria um cenário mais difícil, mas de qualquer forma não se pode ‘subir no salto’, sob pena de levar uma rasteira”, ensinou.

Comentários