Política & Justiça

Pré-Candidato ao Senado João Campos abriu as portas para pastores presos, diz site

Aliado de Gustavo Mendanha, deputado federal João Campos é amigo pessoal do pastor preso, a quem disse ter admiração. Filha do pastor trabalhava no gabinete do político goiano. Líder religioso detido já participou de almoço com ex-prefeito

diario da manha

O grupo político de João Campos (Republicanos) e Gustavo Mendanha (Patriota) já realizou elogios públicos a pelo menos um dos pastores presos pela Polícia Federal na manhã desta quarta-feira, 22, suspeito de atos de corrupção no Ministério da Educação (MEC).

Campos e Mendanha anunciaram aliança para disputar as eleições em Goiás, como candidatos ao Senado e Governo, respectivamente. Os dois políticos começaram alianças nas gestões de Mendanha à frente da Prefeitura de Aparecida de Goiânia e compartilham a aproximação com grupos evangélicos, que têm influências em suas carreiras políticas.

O grupo político demonstra proximidade com o pastor que teria – segundo investigações preliminares – o poder de liberar de forma ilegal recursos para Prefeituras.

Em março, o site “Antagonista” e outros veículos de comunicação revelaram a aproximação do deputado federal goiano com o pastor Gilmar Silva dos Santos. Conforme a mensagem, João Campos diz ter construído uma “amizade muito sadia e uma história de vida” em mensagem de feliz aniversário para um dos detidos.   

O pastor preso é suspeito de realizar esquemas dentro do ministério que envolveria prefeitos aliados. Seu nome foi citado em áudios em que o chefe do MEC indica que a prioridade para repasse de recursos ocorre por indicação de dois pastores. Ou seja, existiria um gabinete fora do MEC e do ambiente público que decidia para onde eram encaminhados recursos públicos.   

Pastor Gilmar, a filha e deputado federal João Campos: Reprodução Instagram/ site G1

Gustavo Mendanha, antes do processo de emagrecimento, com o pastor suspeito de esquemas
Ex-prefeito Gustavo Mendanha e pastor preso Gilmar Santos em um segundo momento

“Caro amigo, pastor Gilmar Santos. Homem de Deus, por quem eu tenho muito apreço, admiração e consideração. Quero abraçar-lhe pelo seu aniversário. Mais um ano de vida completado pelos cuidados do Senhor”, elogiou Campos, em setembro de 2021.

O deputado completou: “Construímos uma amizade muito sadia e uma história de vida. Eu, posteriormente na atividade política, e o senhor, cada vez mais, Deus lhe usando para ampliar o seu ministério, para abençoar vidas, para salvar vidas”.

A imprensa também revelou que uma filha do pastor trabalha no gabinete de João Campos. Conforme o G1, a filha de Gilmar Silva atuou para o deputado federal, em Goiânia, contratada pela Câmara dos Deputados.

Mendanha, Gilmar e ex-embaixador

Em dezembro de 2020, a Embaixada de Israel publicou a notícia de que o “Embaixador de Israel recebe evangélicos”. No texto, é citado que Gilmar Santos e Gustavo Mendanha, e demais lideranças, participam de “almoço festivo”.

Políticos ligados a Mendanha e Gilmar afirmam que o religioso realiza articulações em Aparecida. Em 2021, o pastor ganhou o título de Personalidade Evangélica do Ano, em Aparecida de Goiânia. Na ocasião, o ex-ministro Milton Ribeiro, preso com o goiano, também foi agraciado com o “Oscar” de Aparecida, apelido dado à premiação.

Segundo apurado pela imprensa, o então embaixador Yossi Shelley, que é amigo pessoal de Mendanha, seria ligado aos grupos evangélicos brasileiros. Mendanha e Gilmar estavam no encontro para estreitar relacionamentos com o israelense.

Ele realizaria intermediações dos interesses políticos junto ao presidente Jair Bolsonaro, com que já desfilou em eventos como “Marcha para Jesus”.  

Reportagem do “Hoje”, de fevereiro, por exemplo, mostra a aproximação de Mendanha com o embaixador: “Ex-embaixador de Israel, Yossi Shelley pode aproximar Gustavo Mendanha e Bolsonaro”.

A reportagem tentou contato com o deputado federal e o ex-prefeito, mas ainda não recebeu suas opiniões sobre a prisão do pastor e relações políticas e religiosas.

Comentários