Política & Justiça

Presidente do TRE-GO ressalta união da imprensa com Justiça Eleitoral

Desembargador falou que sobre fake news e que é importante essa união com a imprensa para o combate de informações falsas

diario da manha
Foto: Hélio Lemes

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Estado de Goiás (TRE-GO), desembargador Itaney Francisco Campos, recebeu membros da Associação Goiana de Imprensa (AGI) na tarde desta quinta-feira, 30, em seu gabinete.

Durante a visita o magistrado falou sobre a união entre a imprensa e os órgãos eleitorais, e também sobre as questões que envolvem as eleições deste ano, a participação dos jovens, e sobre as fake news.

Entre os membros da AGI que estiveram presente no encontro estavam o presidente da AGI, Valterli Guedes, um dos diretores da AGI e presidente do Jornal Diário da Manhã, Júlio Nasser. A visita teve como objetivo também estreitar os laços entre a Associação e os órgãos da Justiça Eleitoral em Goiás.

No período deste ano em que teremos as eleições gerais no mês de outubro, o presidente do TRE, lembrou que é preciso verificar as informações antes de divulgar e de disseminar elas. De acordo com eles, muitos cidadãos têm divulgados dados sem antes verificar a veracidade delas. Ele lembra ainda que a liberdade de imprensa é um dos pilares para a preservação das garantias democráticas.

“A união entre a imprensa e os órgãos da Justiça Eleitoral é essencial para a expansão e fortalecimento do regime democrático. Hoje infelizmente nós temos uma questão de desinformação muito grave, pois a rede mundial de internet, através de suas diversas plataformas, vão multiplicando informações poucos críveis e que na verdade são informações maliciosas, que tem como objetivo descolar os fatos da realidade, e são em sua maioria informações de injúria e difamação. E para combater essa desinformação de notícias falsas e capciosas, maliciosas, nós precisamos efetivamente de informação verdadeira, fidedigna dos fatos. Ele lembra ainda qu eu meio utilizado é válido, mas que o mesmo é mal utilizado”, salienta o desembargador.

Leia também:

Comentários