Justiça

PCGO: operação desarticula organização criminosa, em um ano e meio quadrilha fez uso de sete aeronaves

O grupo possuía várias aeronaves que serviam na atuação tanto interestadual e internacional

diario da manha

A Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO), realizou uma operação a fim de desarticular uma Organização Criminosa. Junto à Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (DRACO), derrubaram a organização, especializada no trafico de drogas. O grupo possuía várias aeronaves que serviam na atuação tanto interestadual e internacional.

Nesta quinta feira (15), vários mandatos de busca, apreensão e prisão estão sendo cumpridos. Os estados que estão em maior evidência são, Goiás, São Paulo, Mato Grosso e Santa Catarina. Em Goiás, por exemplo, estão sendo cumpridos quatro mandados de prisão e 12 mandatos de busca e apreensão.

Foram presos o chefe da organização criminosa, o gerente operacional e dois operadores. Locais utilizados pelos supostos pilotos e financiadores do esquema também foi objeto de busca pelos policiais.

De acordo com os agentes, as investigações tiveram início há cerca de um ano e meio atrás. A primeira informação foi de um helicóptero que estaria transportando drogas para o estado de Goiás. O mesmo foi abordado em uma cidade que faz divisa com Goiás (MT). No local a aeronave foi apreendida por estar com prefixo clonado.

O piloto e o responsável pelo reabastecimento do helicóptero foram presos por porte de munição. Meses depois, o piloto citado, foi preso novamente com um milhão de dólares e uma arma de fogo. Logo após o fato, a organização criminosa adquiriu sua terceira aeronave.

A terceira aeronave, em uma das operações aéreas pousa se envolve em um acidente e a mesma é danificada. Após diligências a PCGO passou a monitorar a quarta aeronave da organização em Mozarlândia/GO. Esta decolou de Mozarlândia e pousou no Amazonas, tendo sido apreendida no local.

Após o fato, a organização adquiriu a quinta aeronave que também passou a ser monitorada pela polícia. De Palmeiras de Goiás, ela decolou com destino à Roraima. Na ocasião a organização comprou um trem de pouso onde levaram um veículo para Roraima. Em razão da demora na resolução do problema do trem de pouso eles adquiriram uma sexta aeronave. Essa foi abordada com 400kg de drogas e 10 kg de pasta base de cocaína.

Ainda sobre o caso

Sendo assim, na apreensão da sexta aeronave todos os ocupantes do avião foram presos. Uma caminhonete filmada na casa do chefe da organização, em Goiânia, é apreendida em Roraima.

Em razão da perda da sexta aeronave, um novo avião é adquirido pela organização no Paraná, totalizando assim sete aeronaves. A mesma esta no Paraná e seguiu para Goiás, Mato Grosso, Manaus e Roraima. De lá atravessou a Venezuela e, assim que entrou no espaço aéreo Colombiano, foi interceptada pela Força Aérea Colombiana.

Uma escola de aviação em Goiânia, objeto de busca e apreensão, é investigada por suposta manutenção e custódia dessas aeronaves. Em um ano e seis meses a organização criminosa operou sete aeronaves a serviço do tráfico de drogas. As investigações da DRACO dão conta de que a organização é ligada a uma grande facção criminosa brasileira.

Comentários