Justiça

Juiz defere pedido da defesa e leilão do crac é adiado

A defesa do clube alegou em exceção processual novas ilegalidades no Edital do leilão o que foi acatado em partes pelo juízo da Vara do Trabalho de Catalão

diario da manha
Foto: Divulgação

Mais um capítulo registrado pela atuação da defesa no caso do CRAC. O leilão do Estádio Genervino da Fonseca foi mais uma vez adiado para ajustes no Edital. A defesa do clube alegou em exceção processual novas ilegalidades no Edital do leilão o que foi acatado em partes pelo juízo da Vara do Trabalho de Catalão.

A decisão do juiz titular da Vara do Trabalho de Catalão Doutor Eduardo Tadeu Thon diz que o Edital do leilão não fez constar de forma clara a validade do contrato de comodato da área com o Município de Catalão, firmado até 2.043, determinando a suspensão da praça agendada para o dia de hoje (28/07) e o novo agendamento, que certamente será precedido de nova avaliação da área.

Isso porque outros pontos determinantes foram alegados pela defesa, a necessidade de se inserir no Edital que o Plano Diretor do Município de Catalão classifica a área como Zona Especial de Interesse do Esporte e Recreação fato que impediria qualquer tipo de especulação imobiliária no local, e ainda a função social do local a comunidade catalana, que recairia sobre a legalidade do termo de penhora sobre a área.

Com a decisão a torcida catalana respira novamente confiante na atuação de seus advogados para reverter a situação e preservar um dos principais equipamentos públicos do povo de Catalão, um ícone de sua história, que é o estádio Genervino da Fonseca.
A defesa do clube é atualmente exercida por duas bancas de peso no estado de Goiás, a Thadeu Aguiar Advogados, com atuação em Catalão, Goiânia, Brasília e Palmas, e da Lara Martins Advogados, referência no estado de Goiás.

Leia também:

Comentários