Saúde

Especialista dá dicas para evitar dores na região da coluna ao fazer viagens longas

diario da manha

O mês de dezembro chegou, e, para muitos, os preparativos para as viagens de fim de ano já são motivos de preocupação, principalmente para quem opta por viagens longas em que o tempo passado em uma poltrona de um carro ou de um avião, por exemplo, acaba sendo um vilão. Dores nas costas e no pescoço, lombalgias, ciáticas e ciatalgias são algumas das consequências, o que pode colocar em risco o tão sonhado descanso durante as férias.

O fisioterapeuta Lucas Signates explica que quem tem dor de origem na coluna – seja cervical ou lombar – sabe que ao ficar em uma posição, por um longo período de tempo, o corpo já começa a reclamar: as dores na lombar e a ciática já começam a dar sinal, e o pescoço dificilmente fica em uma boa posição, então já começamos a sentir os ombros pesados, o pescoço cansado e dolorido e até dores e dormências descendo pelas costas e pelo braço

Para o profissional, é de extrema importância a quem corre esse risco saber lidar com as dores. “A grande maioria delas acontecem decorrentes de movimentos desorganizados e exagerados das vértebras que compõem a coluna vertebral”, alerta.

Segundo ele, para que isso não aconteça algumas medidas podem e devem ser tomadas. “Existe um grupo de músculos, em toda a coluna, que é responsável pela estabilização das vértebras antes de realizar qualquer movimento. Saber ativar essa musculatura, no dia a dia, principalmente nos movimentos de mudança de postura, é essencial para que os movimentos sejam realizados de forma organizada, prevenindo ou reduzindo as dores”.

A adoção de uma postura adequada também é de grande importância, afinal o alinhamento corporal, mesmo quando sentado, ajuda evitar desgastes e dores. Devemos sempre buscar um bom apoio para as costas, não deixar o banco muito inclinado, a ponto de sentarmos sobre o cóccix, ou ereto demais a ponto de não conseguirmos ficar relaxados. Quando for dirigir, verificar se a distância do banco e do encosto do banco em relação aos pedais e ao volante estão corretas; geralmente no manual do veículo existem orientações quanto a esses ajustes”.

Signates lembra que alguns veículos possuem regulagem da curvatura lombar, o que auxilia muito para aqueles passarão muito tempo dirigindo. Mas, para os que não têm essa possibilidade no carro ou irão viajar de avião, existe a possibilidade do uso de dispositivos que vão auxiliar no posicionamento da coluna, mas é importante que se consulte um profissional fisioterapeuta para a indicação do mais adequado.

(foto: reprodução internet)

Comentários