Saúde

Bem estar do paciente é prioridade para o Hugo

Nesta semana, pelo menos 700 profissionais de todas as áreas da unidade passam por treinamento que foca reforçar protocolos que minimizem riscos ao público

diario da manha

Pelo menos 700 profissionais do Hospital Estadual de Urgências de Goiânia Dr. Valdemiro Cruz (Hugo) voltam às salas de aulas. Eles são, desde médicos especialistas, aos prestadores de serviço dos serviços gerais, ou seja: todas as áreas. A intenção é fazer com que todos os protocolos de segurança do paciente sejam reforçados.

O Treinamento de Protocolos de Segurança do Paciente é feito entre os dias 08 e 11 de janeiro, das 15h às 16h; das 16:30 às 17:30; das 20h às 21h e das 21h às 22h. Para o coordenador do Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente, Uriel Moura Resplandes, este treinamento é uma prioridade.

“Criamos grupos distintos, para que o treinamento seja possível para todos e cumpra os protocolos sanitários, fazendo com que todos os profissionais, que atuam em diversos horários, possam se atualizar sobre o que mais é possível para o bem estar do paciente. A intenção é que o motivo pelo qual o paciente foi trazido não seja agravado”, complementa Uriel Resplandes.

A capacitação segue os protocolos estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e abrange todos os níveis de profissionais que estão envolvidos no funcionamento do Hugo. Em 2013 a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tornou obrigatório o cumprimento das medidas. “É indispensável que todos possam receber essas orientações, já que o objetivo é a segurança do paciente. Desde a portaria da unidade hospitalar, quando o paciente dá entrada, até o Centro Cirúrgico e os leitos, onde medicações são ministradas e exames feitos”, acrescenta Resplandes.

METAS PARA SEGURANÇA DO PACIENTE

Identificação correta dos pacientes

Todos os pacientes devem ser identificados com, no mínimo, nome e data de nascimento. A identificação correta visa evitar aplicação indevida de medicação ou realização de procedimentos médicos.

Comunicação efetiva

A comunicação é um dos pilares do tratamento, para que a equipe assistencial entenda as queixas e os sintomas, quanto para pacientes e familiares compreenderem o processo. A comunicação entre profissionais garante que as informações sejam transmitidas de forma objetiva, completa e clara.

Segurança de medicamentos de alta vigilância

Os cuidados devem ser aplicados ao armazenamento, à prescrição, à dispensação, à administração e ao monitoramento dos efeitos. Devem estar sempre atentos se o paciente é o certo; se o medicamento é o certo; a dose; a via de administração e, por fim, o horário.

Segurança para cirurgias

Os protocolos cirúrgicos propiciam um ambiente confiável para os profissionais, que podem atuar garantindo a segurança dos pacientes. É claro que cada procedimento possui suas próprias recomendações. Como regra geral, assegurar a segurança para cirurgias consiste em obedecer os protocolos e diretrizes para cada caso.

Risco de infecções

Durante os atendimentos, os pacientes são expostos a riscos de contaminação associados aos próprios procedimentos. O controle de infecções é um grande desafio para os estabelecimentos de saúde.

Prevenção de quedas

Pacientes que sofrem quedas durante o atendimento ou períodos de observação podem ter danos graves. Uma alternativa utilizada como prevenção é a classificação dos pacientes de acordo com o risco de queda.

Comentários