Saúde

A importância do reforço da segunda dose da vacina contra a Covid-19

diario da manha
Imagem: iStock

Atualmente o Brasil está em risco devido ao grande número de pessoas que não estão comparecendo e nem se preocupando em tomar a segunda dose da vacina contra a Covid-19. De acordo com o Ministério da Saúde (MS) 1,5 milhões de pessoas em todo país não procuraram um posto de atendimento para receber a segunda dose do imunizante.

Apesar de muitas pessoas que simplesmente se esquecem ou optem por não ir se vacinar, há relatos de algumas cidades do país onde há pessoas que não podem receber a segunda dose por falta do insumo.

Duas vacinas atualmente são aplicadas no Brasil: a Coronavac, produzida pelo farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, e o imunizante da AstraZeneca, desenvolvido em parceria com a Universidade de Oxford e produzido no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

No caso da Coronavac, estudos apontam melhor eficiência quando a segunda dose é aplicada em um intervalo de 21 a 28 dias. Já a vacina da AstraZeneca-Oxford deve ter a segunda dose aplicada em intervalo maior, de três meses.

Procura dentro do esperado

Em Goiás, na madrugada desta sexta-feira (23), o estado recebeu 107,4 mil doses de vacinas contra a Covid-19. Segundo o Ministério da Saúde (MS), há suficiente para 86 mil aplicações do imunizante da AstraZeneca e 21,4 mil da CoronaVac. 

De acordo com a pasta, do total de vacinas recebidas, 86.055 são para aplicação de primeira dose, enquanto as demais são doses de reforço para quem já recebeu uma aplicação.

A Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS), informa que a procura pela a segunda dose da vacina contra a Covid-19 se encontra dentro do esperado, já que a administração dessas doses foi antecipada, pois o intervalo para o recebimento do imunizante é entre 21 e 28 dias para a vacina Coronavac e de 9 a 12 semanas para a AstraZeneca e mesmo assim a procura tem sido alta.

Nesta sexta-feira (23), seguindo o Plano Municipal de Vacinação contra a Covid-19, estão sendo disponibilizadas as segundas doses para idosos com 67 anos ou mais, com a vacina Coronavac e reforço do imunobiológico AstraZeneca para os trabalhadores da saúde. Já no próximo sábado (24), a faixa etária para a segunda dose dos idosos será ampliada para a partir de 66 anos de idade.  

O recebimento do reforço é de suma importância para a garantia da imunidade oferecida pelas vacinas, por orientação do MS e da Secretaria Estadual de Saúde (SES) deve-se garantir a segunda dose mesmo após o prazo de 28 dias ter ultrapassado. No total 138.033 pessoas já receberam as duas doses.

Ao receber as doses que chegaram nesta madrugada, o governador Ronaldo Caiado (DEM) pediu para todos os prefeitos dos municípios, que se esforcem para registrar, o mais rápido possível, as vacinas sendo aplicadas para que não haja déficit nos dados.

‘’Nos últimos dias tivemos uma melhora significativa, estávamos no 18º e caímos agora para o 10º lugar na planilha do Ministério da Saúde. A certeza de que as vacinas estão sendo aplicadas, ninguém tem dúvidas disso’’, afirmou o governador.

Em entrevista coletiva realizada nesta madrugada durante a chegada das vacinas, o governador Ronaldo Caiado destacou o assunto e chamou à atenção da população para procurar os postos e tomar a segunda dose do imunizante.

Leia também:

Comentários