Brasil

Governo quer adaptar fábrica de vacina animal para produção de doses contra a Covid-19 em humanos

Marcelo Queiroga não detalhou a intenção, mas falou rapidamente sobre esta intenção. '' Vamos verificar parques industriais de vacinas animais para possível produção de vacinas de humanos

diario da manha
Researchers with viruses, syringe and microscope and many other laboratory utensils

Após reunião neste sábado (3) com a diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) no Brasil, Socorro Gross, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, adiantou que o governo cogita adaptar fábricas brasileiras de vacinas para animais, para que elas comecem a produzir doses para vacina humana na prevenção contra a Covid-19.

Marcelo Queiroga não detalhou a intenção, mas falou rapidamente sobre esta intenção. ” Vamos verificar parques industriais de vacinas animais para possível produção de vacinas de humanos. Não só para usar aqui, mas também para oferecer em futuro próximo para outros países da América Latina e o mundo”, disse Queiroga.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento trata com o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan) sobre a possibilidade. O objetivo é para tentar acelerar a disponibilidade de vacinas no país. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) acompanha as discussões para garantir “os pilares da qualidade, eficácia e segurança”.

O Brasil tem registrado altos números do avanço da Covid-19, e isso tem chamado a atenção da Organização Mundial da Saúde (OMS). Ao todo, o Brasil tem mais de 12,9 milhões de casos e 328 mil óbitos de Covid-19.

O Ministério da Saúde aplicou 20,6 milhões de doses da vacina (entre primeira e segunda doses). Atualmente, o país é o epicentro da doença no mundo.

Evolução da pandemia no Brasil

O Ministro da Saúde Marcelo Queiroga, reuniu neste sábado (3), com a diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) no Brasil, Socorro Gross, para discutir a situação do país. Para atenuar a situação, Queiroga foi categórico: é preciso acelerar a imunização. “Prioridade nossa é ampliar campanha de vacinação”, destacou.

Socorro demonstrou preocupação com a evolução da pandemia no Brasil. “Temos de ganhar tempo para que produção de vacina possa estar no Brasil. Não temos como diminuir transmissão da doença se cada um não aplicar medidas sanitárias”, ressaltou Socoroo.

Comentários