Saúde

Hugo supera 100 altas médicas por Covid-19 em quatro meses

Desde o dia 1º de março, ala exclusiva para tratamento de pacientes com a doença no Hospital Estadual de Urgências de Goiânia Dr. Valdemiro Cruz recuperou 112 pessoas

diario da manha

Júlio César Pires de Oliveira, de 41 anos, agradeceu na manhã desta sexta-feira, 11, à equipe clínica da ala de Covid-19 do Hospital Estadual de Urgências de Goiânia Dr. Valdemiro Cruz (Hugo). Ele é o 112º paciente a se recuperar da doença na unidade de saúde desde o dia 1º de março deste ano. “Se não fosse vocês eu nem sei se estaria aqui [vivo]”, agradeceu Júlio César às profissionais de saúde do Hugo.

No momento da alta médica, a equipe de enfermagem brincou com a barba por fazer de Júlio César. “Você vai embora e nem tirou a barba?”, diz uma das enfermeiras em vídeo gravado na enfermaria para tratamento da Covid-19 do Hugo na manhã de hoje. Outra profissional responde: “Ele não quis, eu tentei dois dias seguidos”.

A barba feita ou grande pouco importa. “É muita emoção. Nossa!”, chora Júlio César ao receber alta médica após se recuperar da Covid-19. Vindo de Pires do Rio, o paciente de 41 anos chegou ao hospital no dia 23 de maio, quando foi internado em um dos dez leitos de UTI para tratamento da doença em funcionamento no Hugo. “Vou voltar para casa. Tiveram dois dias que achei que não daria conta de voltar para casa”, limpa as lágrimas de alívio Júlio César.

O sentimento é o mesmo a cada uma das 112 altas médicas recebidas nos 60 leitos de enfermaria e dez de UTI para tratamento da Covid-19 no hospital. Desde o dia 1º de março de 2021, 168 pacientes deram entrada com suspeita ou a confirmação da doença. Desses, 112 voltaram para casa. O último deles foi Júlio César, que retornou hoje a Pires do Rio depois de 19 dias de cuidados clínicos. Foram três dias com uso de ventilação não invasiva na UTI para Covid e 16 na enfermaria exclusiva para pacientes com a doença.

De acordo com a coordenadora de enfermagem da clínica médica do Hugo, Maytê Lujan Nery, a maioria dos pacientes que chegam ao hospital com Covid-19 ou a suspeita da doença são encaminhados de cidades do interior. “Quando a pessoa recebe alta na UTI, ela é encaminhada para a enfermaria destinada a casos da doença. A próxima evolução é para a alta médica”, detalha Maytê.

Leia também:

Comentários