Saúde

Mais de 50 milhões de vacinados com a primeira dose

O número de pessoas vacinadas com ao menos uma dose contra a covid-19 no Brasil chegou a 50.953.709 na última terça-feira, o equivalente a 24,06% da população total

diario da manha
(Foto: Agência Brasil)

O número de pessoas vacinadas com ao menos uma dose contra a covid-19 no Brasil chegou na última terça-feira, 8, a 50.953.709, o equivalente a 24,06% da população total. No balanço das últimas 24 horas, 1 369.599 pessoas receberam a primeira dose da vacina, de acordo com dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa junto a secretarias de 26 Estados e Distrito Federal.

Entre os mais de 50 milhões de vacinados, 23,3 milhões receberam a segunda dose, o que representa 11% da população com a imunização completa contra o novo coronavírus. Nas últimas 24 horas, 276.896 pessoas receberam essa dose de reforço. Somando as vacinas de primeira e segunda dose aplicadas, o Brasil administrou 1.646.495 doses nesta terça-feira.

Em termos proporcionais, o Mato Grosso do Sul é o Estado que mais vacinou sua população até aqui: 33,41% dos habitantes do Estado receberam ao menos a primeira dose. A porcentagem mais baixa é encontrada em Amapá, onde 15,76% receberam a vacina. Em números absolutos, o maior número de vacinados com a primeira dose está em São Paulo (12,58 milhões), seguido por Minas Gerais (5,19 milhões) e Bahia (3,74 milhões).

Opas alerta para casos na América Latina e sobre riscos da Copa América

A Diretora da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), Carissa Etienne, afirmou nesta quarta-feira, em coletiva de imprensa, que a América Latina teve 1,2 milhão de casos de covid-19 na última semana, com 34 mil mortes confirmadas. Segundo ela, os quatro países com mais mortes pela doença na semana estão na região. “Se a tendência atual seguir, levaremos anos para controlar a pandemia nas Américas”, alertou, acrescentando que Brasil e Peru tiveram queda no volume de infecções, mas ainda em patamar alto. Diretor assistente da Opas, Jarbas Barbosa defendeu que, por causa desse quadro, a região deveria ter prioridade no recebimento de vacinas por meio do programa Covax, da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Moderna quer produzir 1 bilhão de doses em 2021 e 3 bi em 2022

O executivo-chefe da Moderna, Stéphane Bancel, afirmou nesta quarta-feira que a empresa tem como meta produzir neste ano 1 bilhão de doses de vacina contra a covid-19. Para 2022, a meta da Moderna é gerar 3 bilhões de doses, comentou ele, durante evento virtual da GZERO Media. Bancel disse que, na avaliação dele, uma eventual quebra na patente de imunizantes contra o vírus teria “pouco impacto, no curto prazo”, já que as empresas responsáveis possuem as matérias-primas e os processos para gerá-la e será difícil reproduzir isso em pouco tempo.

Ele afirmou que a Moderna pretende manter um papel importante na luta contra a pandemia e disse que ela pode produzir mais, porém enfatizou a importância de que os países do G-7 e do mundo em geral façam encomendas com antecipação, para que as empresas possam desenvolver capacidade e executar essas entregas nos prazos combinados.

Pfizer testará vacina em grupo de crianças com menos de 12 anos

A Pfizer anunciou que vai começar a testar sua vacina contra a covid-19 em um grupo maior de crianças com menos de 12 anos, após selecionar uma dose menor da vacina em um estágio mais inicial do estudo. A pesquisa vai envolver até 4.500 crianças em mais de 90 clínicas nos Estados Unidos, na Finlândia, Um porta-voz da Pfizer afirmou que a farmacêutica espera os dados para o grupo entre 5 e 11 anos em setembro e que provavelmente solicitará às agências reguladoras a autorização para uso emergencial no mesmo mês. Os dados para crianças entre 2 e 5 anos de idade podem chegar logo depois, disse. A Pfizer espera ter os dados para o grupo entre 6 meses e 2 anos entre outubro e novembro.

Comentários