Saúde

Lipoaspiração LAD: técnica que conquistou famosas precisa de boa indicação

O cirurgião plástico explica que a lipoaspiração de alta definição não é indicada para quem quer perder peso e deve ser bem avaliada para não gerar frustrações com o resultado

diario da manha

A Lipoaspiração de Alta Definição (LAD) é o mesmo procedimento cirúrgico tradicional que tem como objetivo aspirar a gordura corporal. De acordo com médico cirurgião plástico Danilo Dalul, a diferença está na valorização de algumas transições da musculatura do corpo para dar mais contorno e uma aparência mais tonificada, como abdome, tórax, braços, coxas ou costas.

“Inclusive, o termo mais correto para essa técnica seria ‘lipoescultura de melhor definição’ porque essa definição pode ter vários graus. Outro erro comum é que essa técnica não depende de aparelhos específicos que geram energia de calor e pode ser realizada com cânulas convencionais e com a vibrolipoaspiração”, explica Dalul.

O médico ressalta que a Lipo LAD é indicada para pacientes com perfis mais atléticos, praticantes de atividades físicas que já têm definição muscular e querem aprimorá-la e não para perder peso.

“A lipoescultura de média definição é indicada para quem quer melhorar sua silhueta abdominal e corporal dentro do peso corporal adequado, mas sem necessidade de uma definição tão acentuada”, explica Dalul.

O cirurgião plástico afirma que a classificação correta das pacientes é muito importante para o planejamento da cirurgia e para ajustar expectativas e entregar o melhor tratamento em cada caso.

“Um erro grosseiro que vejo nas redes sociais são casos em que o profissional excede na técnica e tenta esculpir musculatura com gordura, o que obviamente não vai dar certo porque se a paciente ganha peso no futuro o relevo de gordura pode aumentar e criar um aspecto ruim”, diz.

De acordo com o médico, a técnica da LAD normalmente entrega tratamentos satisfatórios para a silhueta corporal, mas a cirurgia deve ser feita por cirurgiões plásticos devidamente habilitados e registrados.

“Por ser uma técnica mais minuciosa, é uma linha tênue entre sucesso e complicação.Os cuidados devem ser redobrados, uma vez que em algumas áreas a lipoescultura será feita de forma mais superficial, e sem cuidados necessários ou conhecimento correto da técnica, há aumento de risco de morte ou necrose de pele”, finaliza Dalul.

Segundo a psicóloga, Jhéssyka Cândida Israel dos Santos , uma lipo sem sucesso pode interferir significativamente no emocional do sujeito.

“Partindo do pressuposto que mente e corpo são indivisíveis e que um influência diretamente no outro, se o corpo não está bem, a mente também não estará. Posto isto, as consequências de tal procedimento invasivo com um resultado não esperado, gera: insegurança, medo, angústia e tristeza, podendo elevar significativamente a possibilidade de altos níveis de ansiedade, desencadear episódios depressivos e ocasionar uma queda abrupta na autoestima”, afirma a psicóloga.

Comentários