Saúde

Internada há sete dias no Hugo, mãe recebe visita do filho de 1 ano e amamenta menino

Dhyenny Vitória, de 17 anos, reencontrou o pequeno Levi Henrique e pôde dar colo, acariciar e diminuir a saudade do filho

diario da manha

O choro de Dhyenny Vitória Alves, de 17 anos, é de alegria. Após sete dias internada no Hospital de Urgências de Goiás Dr, Valdemiro Cruz (Hugo), a paciente reencontrou o filho Levi Henrique, de 1 ano, na manhã desta quinta-feira,14, na parte externa da unidade e amamentou o menino. A visita foi possível graças ao empenho da equipe multiprofissional do Hugo que oferece aos pacientes um tratamento humanizado que visa minimizar o sofrimento causado pela hospitalização e proporcionar vida, acolhimento e amor.

Mãe e filho nunca tinham ficado separados e o pequeno Levi mamava exclusivamente na Dhyenny. Foi também durante essa semana, que o bebê falou a primeira palavra, mamãe. A criança está sob os cuidados da avó materna, Tânia Cristina. “Não tem sido fácil, o Levi sente muita falta da mãe e à noite piora. Ele mama no peito e só ontem ele aceitou pegar a mamadeira. Todos os dias faço chamada de vídeo, mas, às vezes, fica pior porque eles choram muito. Meu coração de vó fica apertado, toda família sofre junto com essa distância”, disse.

Para realizar este acolhimento para mãe e filho, a unidade se mobilizou para garantir segurança e conforto no encontro. Foi realizada uma avaliação com a equipe assistencial e a psicóloga Mônica Lelis e a assistente social Cristiane Vasconcelos acompanharam a Dhyenny durante a visita. “A família e o bebê não tiveram contato com área assistencial da unidade”, explica Mônica. A psicóloga reitera que a paciente foi orientada pela enfermagem de como tomar o banho e sobre a lavagem da mama para poder amamentar o filho.

Emocionada, Dhyenny revela que à noite a saudade aumenta. “Eu estava com crise de ansiedade por não poder ver o Levi. Tive que pedir ao médico um remédio para poder dormir, pois passo à noite chorando. Foi muito bom poder ver meu filho, pegar ele no colo, acariciar e amamentar”, afirma.

De acordo com a psicóloga Mônica Lelis, a ligação de mãe e filho é muito forte, e a separação causa sofrimento para ambos. “Com a visita humanizada, minimizamos esse sofrimento. Estamos aqui para cuidar da paciente como um todo, nas suas necessidades físicas e emocionais”, destaca.

Dhyenny Vitória Alves deu entrada no Hugo no dia 7 de outubro vítima de um acidente de trânsito. Ela passou por cirurgia na perna direita e está internada na enfermaria. Ainda não há previsão de alta para a paciente.

Leia também:

Comentários