Saúde

Livro para colorir anima rotina de crianças no HMAP

Coordenação de humanização da unidade distribuiu material lúdico para os pequenos que estão internados ou em consulta ambulatorial. Ação proporciona à criança uma estadia descontraída e mais confortável durante o tratamento e reabilitação

diario da manha

O processo de internação em um hospital nem sempre é confortável e, muitas vezes, duram períodos extensos. Com intuito de tornar a hospitalização leve, descontraída e diminuir a ociosidade das crianças, a coordenação de humanização do Hospital Municipal de Aparecida de Goiânia (HMAP) distribuiu kits de pintura para os pequenos que estão internados ou em consulta ambulatorial da unidade.
 
O material é composto por desenhos para colorir, giz de cera e lápis de cor. Para a coordenadora de humanização, Núbia Rodrigues, o intuito é entreter as crianças e proporcionar uma estadia mais confortável, durante o tratamento e reabilitação. “Toda criança gosta de brincar, de colorir. Com os desenhos, ofertamos material lúdico, de uso individual, que diminui a ansiedade e a inquietação das crianças”, explica.
 
Para a psicóloga, Andreia Araújo Gomes, que atende às crianças internadas na pediatria do HMAP, a atividade lúdica proporciona uma melhora emocional dos pequenos. “Quando internada, a criança fica ansiosa pois é submetida a uma rotina terapêutica. A atividade de colorir fortalece o emocional, que está fragilizado, e consequentemente auxilia no tratamento”, afirma.

A psicóloga destaca que ações humanizadas fortalecem o vínculo do paciente com a equipe. “O olhar deles muda em relação aos profissionais. Eles sabem que a unidade tem um momento diferenciado em que podem brincar, descontrair e esquecer um pouco da hospitalização”, conclui.
 
A pequena Vitória Araújo Gomes, de 5 anos, que está internada no HMAP há 16 dias para tratamento da Covid-19 e da gripe H3N2 recebeu o material. Para a mãe da criança, Jucilene Araújo, a iniciativa é positiva. “A gente fica nervoso e  e estressado durante o tratamento. Com os desenhos a Vitória pode se distrair. Fiquei feliz em receber, muito obrigada”, disse.

Conscientização
 
Durante a ação de humanização, Jucilene, mãe da paciente Vitória, deu um recado para os pais vacinarem os filhos. ”Eu passei por uma experiência que não desejo para nenhuma mãe. Graças a Deus, hoje minha filha está bem. Gostaria de falar para os pais levarem os filhos para vacinar. Vacinem suas crianças para não passarem o que eu passei”, concluiu.

Leia também:

Comentários