Saúde

Policlínica de Goiás promove lanche junino

Durante a comemoração, unidade abordou sobre a importância da doação de sangue

diario da manha

Com decoração especial e comidas típicas, a Policlínica Estadual da Região Rio Vermelho – Goiás surpreendeu os colaboradores com um lanche junino. A ideia foi proporcionar aos profissionais um momento de descontração e alegria.

Para a diretora-geral da unidade, Michelly Ribeiro de Jesus, a comemoração é uma oportunidade de envolver colaboradores e promover a humanização. “Sempre que possível, promovemos atividades que tornam o ambiente mais leve”, afirmou.

Durante o Arraiá da Policlínica, a unidade abordou com profissionais e pacientes o tema doação de sangue. A gestora de cuidados da Policlínica, Dayene Leite, conscientizou sobre a importância do ato de solidariedade.

De acordo com a enfermeira, o objetivo da data é homenagear a todos os doadores de sangue e conscientizar os não-doadores sobre a importância deste ato, que é responsável pela salvação de milhares de vidas. “É importante lembrar que não há um substituto para o sangue e a disponibilidade é essencial em diversas situações no hospital como cirurgias e tratamento de pessoas com doenças crônicas e necessitam de transfusão sanguínea”, explicou Dayene.

Segundo a profissional, a manutenção dos estoques de sangue em níveis seguros em todo país depende da doação regular de sangue que ainda é feita por uma pequena parcela da população brasileira. Uma única doação pode ajudar até quatro pessoas. “Vamos fazer nossa parte, juntos somos mais fortes. Doe sangue, salve vidas”, finalizou.

Quem pode doar?

Para doar sangue, o voluntário deve estar em boas condições de saúde, pesar acima de 50 quilos e ter idade entre 16 e 69 anos (menores de 18 anos devem estar acompanhados por um responsável legal). É necessário estar descansado, bem alimentado e portar documento oficial com foto (RG, carteira de trabalho, carteira de motorista ou de reservista) em bom estado de conservação.

Leia também:

Comentários