Tech

Casco 3D implantado em jabuti leva brasileiros para o Guinnes

Animal perdeu a carapaça durante um incêndio

diario da manha

Com o uso da tecnologia 3D, um grupo de pesquisadores brasileiros, reconstruiu e implantou um casco em uma jabota, ou seja, uma jabuti fêmea e foi parar no Guinnes Word Records de 2022.

O grupo de pesquisadores conta com médicos veterinários, cirurgiões dentistas e um designer. Cícero Moraes, que é o designer responsável, e faz parte do projeto, disse que a proposta de reconstrução teve muitos desafios técnicos para serem superados, para chegar ao resultado final.

De acordo com ele, para fazer a reconstrução do casco, o grupo empregou a técnica fotogrametria, que é bastante usada por arqueólogos e adaptada para reconstruir crânios, cenas de crimes ou construções arquitetônicas.

A jabota que recebeu o casco em 3D foi chamada de Freddie e perdeu o seu casco durante um incêndio em uma área de Cerrado, em Brasília. Na ocasião, Freddie perdeu 85% da carapaça e depois os 15% que haviam sobrado.

O animal foi encontrado na beira da estrada por um casal e levada parada a casa de dois irmãos veterinários, que trabalham com animais silvestres. Os irmão Rodrigo e Mateus Rabelo, observaram que durante o processo de recuperação, Freddie teve crises de pneumonia e ficou 45 dias sem comer.

O processo para fazer a reconstrução do casco da jabota, contou com diversas fotografias que foram enviadas ao designer, para que ele pudesse assim fazer a volumetria. Na sequência, Moraes entrou em contato com um amigo que tem um jabuti saudável e identificou os parâmetros, através das fotografias que foram feitas de forma detalhada e fazer a volumetria completamente remodelada a partir das fotos.

*Com informações da CNN

Leia também:

Comentários