Desafios e potencialidades na nutrição pediátrica

A grande importância do papel da nutrição no âmbito hospitalar

Postado por Jodiê Amaral em 17 de Junho de 2017 às 22h36
Atualizado em 17 de Junho de 2017 às 22h36

“As crianças são o futuro da nação!” Certamente é uma frase emblemática, mas qual o seu real peso e como esse futuro pode ser influenciado? Além disso, o que pode ser feito para que nossas crianças se desenvolvam rumo a esse grande futuro?

Vários são os estudos que evidenciam a relação entre a saúde de adultos e o estado nutricional durante os primeiros 1000 dias de vida. Assim, é de grande importância o papel da nutrição, principalmente no âmbito hospitalar, local em que as crianças, na qualidade de pacientes e com agravos em sua saúde, têm grandes mudanças em suas rotinas e redução de sua liberdade. Nesse ambiente, a alimentação surge como um dos poucos momentos capazes de atenuar esse momento de dor. É por isso que a equipe multidisciplinar do Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira – Hugol desempenha um tratamento técnico, mas também um acolhimento e um suporte emocional.

Os nutricionistas enfrentam as dificuldades impostas por restrições alimentares, padrões alimentares alterados, regressão e até recusa alimentar. Ao chegarem à internação hospitalar, as normas da instituição são repassadas aos pais, de forma a ajudá-los a se adequarem a uma nova rotina. Esse momento é de grande importância, pois os familiares que acompanham suas crianças, muitas vezes, estão inseguros e receosos com aquela nova realidade. Entre os meses de julho a setembro de 2016, as triagens nutricionais realizadas na clínica pediátrica do Hugol revelaram que 44% das crianças admitidas apresentavam risco nutricional, no momento da admissão. A desnutrição ou a insuficiência de energia, vitaminas e higiene no preparo dos alimentos contribuem para um pior prognóstico, maior risco de infecções e maior tempo de internação.

Assim, torna-se evidente que as crianças demandam por uma maior atenção e, quando se trata daquelas em risco nutricional, essa atenção é redobrada por toda a equipe da nutrição, demandando maiores esforços em busca da recuperação nutricional. Com lactário e cozinha informatizados e seguindo padrões de segurança alimentar, os nutricionistas conseguem oferecer mamadeiras com várias formulações específicas para a faixa etária de cada criança, suplementações e alimentação variada, atendendo aos diferentes hábitos alimentares, sempre com incentivos positivos.

 

(Jodiê Amaral, nutricionista do Hugol)