Anápolis

Suspeito confessa que matou namorada pelas redes sociais, em Anápolis

Suspeito já foi preso por outro feminicídio em 2011.

diario da manha
Foto: Reprodução

A professora Aila Pinto Cardoso, de 34 anos, foi morta a facadas na última terça-feira (16/7) em Anápolis, a 55 quilômetros de Goiânia. O principal suspeito do crime é o namorado da educadora, identificado como Rafael Andrade, um cozinheiro, que por telefone confessou à família da vítima e nas redes sociais que matou a companheira.

O delegado Wlisses Valentim que investiga o caso conversou com o DM Online e deu mais detalhes sobre a ocorrência. Conforme Valentim, Rafael confessou o crime para a família e em suas redes sociais. O investigador afirmou que Rafael fugiu após o crime e que tentou negociar com ele sua rendição à polícia, mas por medo o cozinheiro deixou Goiás e foi expedido um mandado de prisão preventiva contra o suspeito.

De acordo com o Delegado Wlisses Valentim, o homem já tem passagem pela polícia por um outro feminicídio ocorrido em 2011 e ficou preso por sete anos.

Segundo o delegado o crime ocorreu às 16 horas desta terça-feira e às 18h30 o cozinheiro ligou para a família da vítima e confessou que havia matado a namorada após uma discussão.

Um irmão do cozinheiro foi até a casa do casal e chamou a polícia após encontrar a professora morta. O delegado ainda informou que chegou a falar com o suspeito por telefone por toda a noite de ontem (16) e até negociavam sua rendição. Mas no decorrer da conversa o suspeito disse que estava indo para outro estado e desapareceu.

Relacionamento do casal começou pelas redes sociais

O casal se conheceu pelas redes sociais e estavam juntos em Anápolis há uma semana. Ele é de Fortaleza e morava em Brasília. Ela veio também de Fortaleza há uma semana e os dois foram morar juntos em Anápolis.

Mas na mesma semana , a vítima já teria se arrependido da relação e queria voltar para sua cidade interiorana, no estado do Ceará. O suspeito não gostou da ideia e por esse motivo teria cometido o crime, com golpes de faca.

Nas redes sociais, a polícia encontrou um post onde o cozinheiro confessa que matou a professora. Ele até postou uma foto da vítima ,assumindo o crime.De acordo com o delegado, o material encontrado vai ser utilizado na investigação.

Comentários