Brasil

Caso Daniel Corrêa: Com habeas corpus, Allana Brittes sairá da prisão

Suspeita de participação no assassinato do ex-jogador Daniel conseguiu liberdade temporária

diario da manha
Foto Reprodução

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu na tarde desta terça-feira (6/8), um habeas corpus a Allana Brittes de 18 anos. A jovem é acusada de ter participado no assassinato do ex-jogador do São Paulo, Daniel Corrêa de Freitas. A decisão foi unânime entre os cinco ministros da Sexta Turma, que estabeleceram algumas condições.

A jovem tem obrigações como: comparecer em juízo, está proibida de frequentar determinados lugares, não pode ter contato com os demais réus e nem se ausentar de Curitiba. Os ministros do STJ ressaltaram na decisão que o não cumprimento dos critérios ocasionará no retorno dela para a prisão.

Allana está presa desde 1° de novembro do ano passado na Penitenciária Feminina de Piraquara, na região metropolitana de Curitiba, na mesma cela em que está a mãe, Cristiana Brittes. A sentença pela liberdade foi unânime e reverteu a decisão do ministro Sebastião Reis Junior, relator do caso, que havia negado o pedido no último mês de março.

Relembre o caso de assassinato do jogador Daniel Corrêa

O jovem Daniel foi encontrado morto no dia 27 de outubro na área rural de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. O corpo estava com claros sinais de tortura e o assassino confesso do jogador, Edison Brittes (pai de Allana) afirmou que o matou porque Daniel Corrêa tentou estuprar Cristiana Brittes, sua esposa e mãe de Allana.

Daniel foi flagrado por Edison com sua esposa Cristiana no quarto do casal. A defesa da família Brittes alega que o jogador tentou estuprar Cristiana enquanto os advogados da família de Daniel afirmam que tudo não passou de uma brincadeira infantil e de mau gosto do jovem.

O resultado do flagrante foi o espancamento do jogador ainda na casa dos Brittes e seu assassinato em Pinhais, no Paraná. Ele teve seu pescoço parcialmente decapitado com uma faca e o órgão sexual retirado por Edison.

A família Brittes e mais quatro acusados de participação direta ou indireta no assassinato estão sendo investigados e aguardam pelo julgamento na prisão, menos Evellyn Brisola. Entre alguns dos crimes que foram praticados pelos sete envolvidos no crime, são eles: homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de menor.

*Com informações do G1

Comentários