Brasil

Servidores do TJDFT têm dados roubados e são vítimas de golpes

De acordo com a vítima, no momento em que os criminosos estavam no TJDFT, às 13h, o celular dela ficou inoperante, ela entrou em contato com a operadora e foi informada de que a linha havia sido trocada às 10h48

diario da manha
Foto: Reprodução

Servidores do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), tiveram dados bancários roubados e foram vítimas de golpistas. A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), tenta encontrar os suspeitos de aplicar golpes aos servidores públicos.

Um dos casos foi registrado dentro de uma agência bancária no TJDFT. De acordo com as investigações da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (Draco), os criminosos tentaram realizar diversos saques das contas de três servidores da Corte.

Os suspeitos usaram documentos falsos se passar pelos funcionários. Segundo a polícia o grupo conta com uma “central de dados” com informações bancárias das vítimas.

Em maio deste ano, câmeras de segurança do TJDFT e da agência bancária flagraram a movimentação de um casal. Nas imagens é possível ver que eles se identificam na portaria e apresentam as identidades falsificadas.

A atendente desconfia do homem e não autoriza a entrada dele, porém, a mulher consegue acesso e vai até o Banco do Brasil e se apresenta como servidora.

A mulher apresentou um documento fraudado, tentou depositar um cheque falso no valor de R$ 11 mil e sacar R$ 25 mil da conta, mesmo sem o cartão da agência.

Após ser informada que se tratava de um valor muito alto e que, ela só conseguiria fazer o procedimento na própria agência em que era correntista, no Setor de Indústrias Gráficas (SIG), a mulher então vai até o local.

Outra servidora do TJDFT foi vítima do golpe alguns dias depois

Chegando lá, a suspeita tentou sacar R$ 25 mil novamente e funcionários do banco desconfiaram da movimentação e ligaram para a correntista, mas não tiveram sucesso. Ao mulher foi embora. Porém os funcionários anotaram a placa do veículo em que ela entrou, um Toyota Corolla.

De acordo com a vítima, ela foi alertada pelo gerente do banco após as tentativas de saque. No momento em que os criminosos estavam no TJDFT, às 13h, o celular dela ficou inoperante, ela entrou em contato com a operadora e foi informada de que a linha havia sido trocada às 10h48. A vítima acredita que os golpistas tenham feito o procedimento.

Outra analista foi vítima do grupo cinco dias depois. Eles foram até uma agência e tentaram sacar R$ 70 mil. Mas os funcionários do banco fizeram vários questionamentos e a suspeita acabou saindo do local, deixando o documento falso para trás.

Segundo a vítima o celular dela também foi bloqueado para fazer e receber chamadas no dia do crime e, além disso, depositaram cheques falsos com valores que somam R$ 38,1 mil na sua conta.

Com informações do Metrópoles

Comentários