Brasil

Suspeitos de apologia ao nazismo são presos

Segundo a polícia, eles faziam parte de grupo extremista que disseminava ódio a negros e judeus

diario da manha
Foto: Reprodução

A Polícia Civil e o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) prenderam nesta quinta-feira, 16, três pessoas de um grupo extremista que fazia apologia ao nazismo e disseminava ódio a negros e a judeus em redes sociais. Com eles, foram apreendidos facões, arco e fechas e livros sobre o nazismo.

Os gentes saíram para cumprir quatro mandados de prisão e 31 de busca e apreensão no Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Conforme a polícia, as investigações duraram sete meses e começaram após um alerta do Cyber Lab e da Homeland Security Investigations (HSI), órgãos do governo dos EUA, onde agentes da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (Dcav) prenderam José Raphael Tomas Zéfiro, integrante de grupos de WhatsApp cujos membros se autodeclaram nazistas, ultranacionalistas e nacional-socialistas.

Com ele, a polícia apreendeu um computador, um telefone e quatro videogames.

O nome da operação faz alusão à freira francesa Denise Bergon, que usou seu convento para abrigar crianças judias entre alunos católicos durante a Segunda Guerra Mundial, evitando que fossem capturadas pelos nazistas.

Leia também:

Comentários