Brasil

Vítimas de estupro em hospital são desacreditadas por colegas

Os crimes aconteciam em locais de descanso de profissionais

diario da manha
Foto: Reprodução

Três profissionais da saúde afirmam que após denunciarem um técnico em enfermagem por importunação sexual e estupro de vulnerável, foram desacreditadas e julgadas por colegas, que também foram vítimas do suspeito, em um hospital de Peruíbe, no litoral de São Paulo.

Os crimes aconteciam em locais de descanso de profissionais na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Peruíbe, quando as mulheres estavam dormindo. Conforme as vítimas, ele passava a mão nas partes íntimas delas enquanto estavam dormindo. Até o momento, pelo menos cinco vítimas se manifestaram.

Segundo a Polícia Civil, o suspeito está sendo investigado por abusar da filha de uma ex-namorada em 2018, uma adolescente que estava com 14 anos na época.

“É muito difícil para uma mulher chegar e falar a respeito de atos libidinosos, principalmente com um abuso, que foi o que aconteceu com a minha filha. Então, hoje eu quero dar essa força para as outras técnicas que trabalhavam com ele, que também sofreram. E estamos todas juntas para que a justiça seja feita. Nem a prisão dele hoje vai apagar o que ele fez, mas fica como uma justiça”, afirma a mãe da adolescente.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde de Peruíbe informou que teve conhecimento da denúncia em 3 de novembro, e que imediatamente instaurou sindicância para apuração dos fatos.

Leia também:

Comentários