Brasil

Mourão ri da possibilidade de investigar tortura na ditadura

O vice-presidente disse que considera o tema faz parte do passado e que não vê sentido em ser investigado, já que os envolvidos não estão mais vivos

diario da manha

O vice-presidente Hamilton Mourão riu nesta segunda-feira, 18, sobre a eventualidade de serem investigadas as torturas cometidas por militares durante a ditadura. O caso aconteceu na entrada do Palácio do Planalto, quando jornalistas o questionaram o general se ele achava se a revelação dos áudios motivaria em uma investigação.

O vice-presidente disse que considera o tema faz parte do passado e que não vê sentido em ser investigado, já que os envolvidos não estão mais vivos. Os áudios foram divulgados pela jornalista Miriam Leitão , em sua coluna no jornal “O Globo”, que mostram sessões do Superior Tribunal Militar (STM) na época do governo ditatorial. Nas sessões, os militares falam sobre as torturas.

Ao todo, são mais de 10 mil horas de gravações, e os áudios foram analisados pelo historiador Carlos Fico, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Nos áudios, por exemplo, um general defende a apuração do caso de uma grávida de 3 meses que sofreu aborto após choques elétricos na genitália e um ministro denuncia uma confissão de roubo a banco obtida a marteladas. O suspeito estava preso à época do crime.

Segundo informações do G1

Leia também:

Comentários