Cidades

Adolescente é suspeito de matar o irmão em fazenda de Ipameri

A criança foi atendida pelo CBMGO, que constatou o óbito do menino

diario da manha
Foto: Reprodução

Um adolescente de 17 anos é suspeito de matar o irmão de 7, com um tiro acidental, em Ipameri, na Região Sudeste de Goiás, a 198 quilômetros de Goiânia. O menino pegou a espingarda calibre 28 que estava sobre o guarda-roupa e mostrava para a criança quando o disparo aconteceu.

O fato aconteceu na noite da última segunda-feira (12/8), em uma fazenda situada a 26 quilômetros do centro da cidade. O disparo atingiu o rosto da criança e o pai dos dois menores foi preso. Os pais dos meninos viviam com os filhos e trabalhavam de caseiros na propriedade.

A criança foi atendida pelo Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO), que constatou o óbito do menino. Ele foi encontrado no quarto, onde estava caído com uma perfuração na face do lado direito.

O adolescente foi encaminhado para a delegacia

Segundo o delegado Diogo Ferreira Andrade, responsável pelo caso, as testemunhas serão ouvidas para saber o que aconteceu, mas até agora tudo indica que foi um tiro acidental. Os pais estavam em outro cômodo e falavam ao telefone quando ouviram o barulho e correram para ver o que tinha acontecido, eles encontraram o menor caído e o mais velho com a arma na mão.

O pai dos menores foi preso por posse ilegal de arma de fogo e omissão de cautela na guarda da arma. Porém segundo ele a espingarda pertence ao patrão dele, dono da fazenda, que confirmou o fato e relatou que deixou a arma sobre os cuidados do empregado.

O adolescente foi encaminhado para a delegacia e assinou o Boletim de Ocorrência Circunstanciado (BOC), um documento lavrado para alguns atos infracionais e foi liberado. Ele deve responder pelo ato infracional análogo ao crime de homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

Com informações do G1

Comentários

Mais de Cidades

29 de julho de 2019 as 16:33

Nota de Falecimento

15 de maio de 2019 as 15:55

16°CRPM EM AÇÃO

15 de maio de 2019 as 15:53

CPC EM AÇÃO