Cidades

Wanderson Mota Protácio degolou e esfaqueou a esposa e a enteada de 2 anos

Uma tia da jovem relatou que “ele maltratou demais elas”

diario da manha
Foto/Reprodução

Nesta terça-feira (30), amigos e familiares das vítimas, assassinas brutalmente por Wanderson Mota Protácio, no fim de semana (28), acompanharam o velório de Raniere Aranha, que estava grávida de 4 meses e da filha dela Geysa Aranha de 2 anos.

Segundo o tio da vítima, entre outros familiares, a morte delas foram muito violentas e o suspeito teria degolado e esfaqueado a mulher, a criança, e ainda teria aplicado diversos golpes na barriga contra o bebê. O enterro aconteceu nesta manhã no cemitério da cidade de Corumbá de Goiás (GO).

Helena Aparecida Figueiró, tia da jovem relatou que “ele maltratou demais elas”, e em lágrimas, contou como estava o estado da criança: “Tinha um ferimento de faca embaixo do queixinho e outro abaixo do peito”, detalhou.

“Ele fez várias perfurações na barriga da Raniere. E ela, inclusive, estava grávida de 16 semanas de um filho dele. Muito frio e calculista, Wanderson cortou o pescoço dela”, contou o tio, Odair José Coelho.

O tio revela que a família vive um momento de dor incomparável. Os parentes esperam que a justiça seja feita e que a Polícia Civil de Goiás (PCGO) capture o acusado, foragido desde o dia (28). Segundo a PCGO esta é a primeira vez que a polícia goiana reúne forças de várias cidades para encontrar um foragido.

“A gente quer ver ele atrás das grades. Pedimos a Deus, à própria polícia e à população que nos ajudem a ver ele atrás das grades”, pontuou Odair.

O crime chocou os moradores do município que tem, atualmente, cerca de 11 mil habitantes. Segundo a família, Wanderson Raniere estavam juntos havia cinco meses e eles se relacionavam bem, não havia registro de briga entre o casal e o homem tratava muito bem a enteada que tinha apenas 2 anos.

Após assassinar a esposa e a criança, Wanderson invadiu duas fazendas. Na primeira, roubou um revólver e na segunda, matou um fazendeiro. Ele tentou estuprar Cristina Nascimento Silva, esposa do fazendeiro, além de atirar na mulher, que se fingiu de morta para sobreviver.

Na tarde de segunda-feira (29), a Polícia Civil de Goiás prendeu, em Alexânia, um homem que teria comprado o celular de Cristina Nascimento Silva, esposa do fazendeiro morto com tiro na cabeça. Wanderson vendeu o aparelho após o crime para juntar dinheiro para a fuga.

Leia Também

Comentários