Cidades

Após autorização da justiça, Comurg enche 15 caminhões com lixo guardado em casa de idosa, em Goiânia

Idosa de 84 anos se recusa a sair do local. Ação foi autorizada pela Justiça. Mosquito da dengue, ratos e baratas foram encontrados no local

diario da manha
Cerca de 15 caminhões em entulhos acumulados são retirados da casa de idosa em Goiânia - Foto: Reprodução

Uma ação da prefeitura de Goiânia mobilizou os órgãos de saúde, Vigilância Sanitária e segurança para retirada de cerca de 15 caminhões em lixos e entulhos acumulados de uma casa localizada na Avenida 3º Radial no Setor Pedro Ludovico, durante uma limpeza compulsória. A ação aconteceu nesta terça-feira, 14.

Na residência mora uma idosa de 84 anos e o filho, de 58 anos, que já foram notificados nove vezes após fiscais encontrarem focos do mosquito Aedes aegypti e, vinham sendo monitorados pelos órgãos de saúde e vigilância sanitária por continuarem com a acumulação.

De acordo com a Vigilância Sanitária, além de focos do mosquito transmissor da dengue, Zika vírus, febre amarela e Chikungunya, em meio ao entulho, também foram encontrados ratos e baratas.

O local ainda é propício para a aparições de escorpiões, além de ser um potencial de incêndio devido a quantidade de materiais inflamáveis, o que coloca a vida dos moradores e vizinhos em risco.

“Nas últimas três semanas tivemos em torno de 12 casos de dengue bastantes próximos a casa. Acreditamos que os focos devem estar nesse lugar. Hoje já conseguimos identificar vários criadouros”, explica o coordenador de fiscalização da Zoonoses, Jadson Moreira.

Cerca de 15 caminhões em entulhos acumulados são retirados da casa de idosa em Goiânia – Foto: Reprodução

Segundo a equipe da Comurg, a estimativa era que usassem de 10 a 12 caminhões para retirarem os entulhos, mas, ao decorrer da ação, o número aumentou para 15 caminhões, uma vez que até ás 13h10 desta terça, nove caminhões com entulhos já haviam sido retirados.

Idosa e filho

Durante a limpeza, o filho da idosa ficou em observação médica na ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

“Acompanhamos a situação desses idosos desde 2008. Já tentamos e oferecemos todo tipo de ajuda que o poder público pode oferecer, mas nunca conseguimos encaminhar eles para um tratamento, sempre recusaram e hoje culminou nessa ação, baseado em uma decisão judicial, de forma compulsória”, relata Jadson.

Os fiscais acionaram a Delegacia do Idoso para acompanhar o caso já que a idosa se recusa a deixar a residência. A filha dela também foi contactada e conversa com a mãe para tentar convence-la a ir morar com ela. Essa é a segunda limpeza realizada na residência.

Com informações do Mais Goiás.

  • Leia também:

Comentários