justiça

Condenado pela morte de Eloá deve cumprir regime semiaberto

Eloá Cristina Pimentel, de 15 anos, foi morta a tiros pelo ex-namorado, Lindemberg Alves Fernandes, de 34, que tentava reatar o relacionamento. O caso aconteceu em 2008.

diario da manha

A Justiça de São Paulo concedeu regime semiaberto a Lindemberg Alves Fernandes, de 34 anos, condenado a uma pena de 39 anos pelo assassinato de Eloá Cristina Pimentel, em outubro de 2008. A vítima tinha 15 anos, quando foi morta a tiros pelo ex-namorado, que tentava reatar o relacionamento.

Segundo informações do portal UOL, na decisão a juíza Sueli de Oliveira Armani alegou que Lindemberg mantém bom comportamento na prisão, sem nunca ter registrado infração disciplinar grave.

“A medida funcionará como um mecanismo facilitador de ressocialização”, afirmou a juíza. “Embora se trate de um regime prisional mais brando, ainda é bastante vigiado e possibilita a observação da evolução do detento em um retorno gradativo à sociedade”.

Lindemberg Alves Fernandes durante julgamento no fórum de Santo André

O Ministério Público havia se posicionado contra a transgressão de pena de Lindemberg, por entender que o crime cometido mostra que ele tem personalidade distorcida. “Nenhuma pessoa, senão motivada por desvio de caráter de personalidade ou transtorno mental, cometeria uma prática tão brutal”, afirmou à Justiça o promotor Luiz Marcelo Negrini de Oliveira Mattos.

O crime

Em outubro de 2008, Lindemberg entrou armado no prédio onde Eloá morava, em Santo André (SP), e a fez refém junto com outros três amigos. Ele buscava reatar o namoro com a adolescente, de 15 anos, mas já chegou ao local armado.

Foram mais de cem horas de tensão, até que a polícia invadiu o apartamento, porém Lindemberg matou Eloá com dois tiros e feriu uma amiga dela, que estava no apartamento fazendo um trabalho da escola.

Na época o caso provocou revolta, pois Eloá voltou ao apartamento para ajudar na negociação do sequestro das outras vítimas, após ter sido libertada pelo assassino. O pedido de retorno foi feito pela polícia.

*Com informações do portal UOL.

Leia também:

Comentários