Política & Justiça

Ministério da Defesa gasta dinheiro da Covid-19 para comprar filé mignon

Levantamento mostrou que itens que não são considerados essenciais como: camarão, salmão, bacalhau, carnes bovinas nobres e bebidas alcoólicas foram compradas com os recursos para combater a pandemia no Brasil

diario da manha

Recursos que eram destinados para o enfrentamento da Covid-19 no Brasil, foram usados para comprar filé mignon e picanha, pelo Ministério da Defesa. A informação veio à tona após uma auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU), que mostrou o gasto de R$ 535 mil para a compra dos itens pelo governo federal.

De acordo com as informações divulgadas, a auditoria foi feita pela Secretaria de Controle Externo de Aquisições Logísticas (Selog) e em sigilo. A Secretaria investiga supostas irregularidades na compra de alimentos desde 2017.

O levantamento indica que houve um aumento nos gastos das Forças Armadas durante a pandemia em 2020. O Ministério d Defesa afirmou por meio de nota, que as atividades das Forças Armadas, Marinha, Exército e Aeronáutica não foram paralisadas durante a pandemia e por essa razão não houve uma redução nos gastos.

Vale salientar que alguns itens que são considerados não essenciais pela defesa foram comprados nesse período. Entre esses itens estão bacalhau, camarão, salmão, carnes bovinas nobres e bebidas alcoólicas. Outro detalhe que chama à atenção é que parte do valor para compra dos produtos, tiveram como origem da ação, de Enfrentamento da Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional em razão do novo Coronavírus.

O documento elaborado pelo TCU mostra que o dinheiro destinado ao combate à pandemia, foi usado para a compra de itens não essenciais, o equivalente a R$ 557 mil, ou seja, 96% gastos pelo Ministério da Defesa.

*Com informações do IG

Leia também:

Comentários