Saúde

Outubro Rosa: A tecnologia para combater o câncer de mama

Mais de 59 mil casos novos de câncer de mama foram estimados para o Brasil em 2019

diario da manha
Foto/Reprodução

Atualmente, o câncer de mama é o segundo tipo da doença que mais afeta as mulheres do Brasil, em torno de 25% de todos os cânceres que afetam o sexo feminino. Mais de 59 mil casos novos de câncer de mama foram estimados para o Brasil em 2019, aproximadamente 56 casos a cada 100 mil mulheres.

Os principais sinais e sintomas do câncer de mama são: caroço (nódulo), geralmente endurecido, fixo e indolor; pele da mama avermelhada ou parecida com casca de laranja, alterações no bico do peito (mamilo) e saída espontânea de líquido de um dos mamilos. Também podem aparecer pequenos nódulos no pescoço ou na região embaixo dos braços (axilas).

Nos últimos anos, o Instituto Nacional de Câncer (Inca) tem trabalhado com a população feminina a importância de “estar alerta” a qualquer alteração suspeita nas mamas (estratégia de conscientização), assim como tem desenvolvido ações com gestores e profissionais de saúde sobre a importância do rápido encaminhamento para a investigação diagnóstica de casos suspeitos e início do tratamento adequado, quando confirmado o diagnóstico.

Uma “câmera fotográfica” e o diagnóstico do câncer

Pensando nesse diagnóstico “mais rápido”, uma tecnologia desenvolvida por especialistas do Programa de Mestrado e Doutorado de Engenharia Biomédica da Universidade Anhembi Morumbi. A novidade nada mais é que um aparelho que se parece com uma câmera fotográfica especial consegue localizar uma predisposição ao câncer cerca de 10 anos antes do tumor começar a se desenvolver. 

A câmera utiliza o método conhecido como termografia, que utiliza raios infravermelhos para analisar a temperatura do corpo e forma um mapa de calor. “Ele é capaz de identificar a presença de um tumor devido a emissão de temperatura do mesmo ser diferente da temperatura do seio normal”, explica o professor Renato Zângaro.

Diferentemente dos tradicionais exames para descobrir o câncer de mama, a técnica é indolor e não invasiva, pois não exige que o seio da paciente seja prensado. O resultado basicamente é uma fotografia do seio. A inovação ainda está em fase de teste no país e não faz parte ainda do protocolo tradicional de diagnósticos, mas o para outro cientista participante do projeto, o professor Leandro Procópio Alves, o melhoramento do projeto é para melhor atender a população.

Touch Saúde: O melhor amigo da mulher

Após um câncer de mama, a enfermeira, Alessandra Pontes de 44 anos, desenvolveu o aplicativo para o diagnóstico precoce. O aplicativo ‘Touch Saúde’ auxilia a mulher no autoexame e é fundamental para a prevenção do câncer de mama. A ferramenta está disponível na versão Android e IOS, além disso, é oferecido de maneira gratuita.

Ao acessar o aplicativo a mulher vai informar a data da última menstruação e que no aplicativo vai constar o melhor dia para fazer o autoexame. Além disso, ele mostra, da melhor forma, como realizar o exame por meio de um passo a passo, para conseguir um possível diagnóstico precoce do câncer.

“O aplicativo mostra às mulheres de forma gratuita como reconhecer os primeiros sinais da doença, intensificando o autoconhecimento através do toque e permitindo que se tornem responsáveis pela própria saúde”, disse a enfermeira.

Para a Alessandra, o aplicativo vem para desmistificar o câncer de mama e combatê-lo. “Acontece que o problema também é o medo do diagnóstico e deixamos sempre para depois. O aplicativo também traz essa responsabilidade para a mulher. Se uma mulher pode baixar um aplicativo de maquiagem também pode baixar um app de prevenção”, reforçou Pontes.

Comentários

Mais de Saúde