Brasil

Suspeitos de atirarem contra "trafigata" são presos

De acordo com a corporação, o atentado contra Camila, tem ligações diretas com o tráfico de drogas

diario da manha

Dois homens foram presos em uma operação da Polícia civil, nesta quinta-feira, 17, suspeitos de terem atirado contra uma acusada de comandar um esquema de tráfico de drogas, em Curitiba. De acordo com a polícia, eles são apontados como responsáveis pelo atentado sofrido por Camila de Andrade Pires Marodim, conhecida como “trafigata”, em janeiro, no setor Alto Boqueirão.

Camila conseguiu se escapar sem ferimentos após correr para dentro da residência. O homem que estava com ela ficou ferido e foi levado ao hospital. Na manha desta quinta-feira, 17, a gentes da Divisão de Homicídios e Proteção á Pessoa (DHPP) cumpriram dois mandatos de prisão contra os suspeitos e também dos mandatos de busca e apreensão em endereços ligados a eles.

As equipes apreenderam celulares e um carregador de pistola. Segundo a Polícia Civil, o atentado contra a mulher tem ligação direta com o tráfico de drogas. Camila Marodim foi presa em novembro do ano passado, durante uma operação da polícia Militar (PM). Na ação, uma pessoa morreu e 15 foram presas contando com ela.

Na data do atentado registrado pelas câmaras, ela estava em prisão domiciliar, com tornozeleira eletrônica, mas acabou sendo presa novamente na semana passada, de forma preventiva, a pedido do MP-PR, por violar as regras do uso da tornozeleira. A defesa de Camila disse, que as violações da tornozeleira se devem á busca frenética da acusada para se manter viva diante do atentado.

Segundo informações do G1

Leia também:

Comentários