Brasil

Mulheres mortas no Flamengo: filho de diarista diz que a patroa tinha sido ameaçada por pintores

De acordo com o Corpo de Bombeiros, vítimas foram emontradas carbonizadas no edifício

diario da manha

O filho de uma das mulheres encontradas mortas em um apartamento de luxo no Flamengo, na Zona Sul do Rio, afirma que pintores que fizeram um serviço na residência e tentaram extorquir da dona da casa, fazendo ameaças.

Diogo Fernandes é filho da diarista Alice Fernandes da Silva, de 51 anos, que trabalhava para Martha Maria Lopes Pontes, de 77 anos, moradora do 12º andar do Edifício Murca. Ainda segundo ele, as duas tinham cortes no pescoço.

Câmeras de segurança do prédio flagraram dois homens entrando no edifício por volta das 13h da última quinta, 09. O Corpo de Bombeiros informou que o primeiro chamado ocorreu às 16h55 e que a equipe encontrou os corpos de Alice e de Martha carbonizados.

A Delegacia de Homicídios abriu uma investigação para saber se foi um incêndio criminoso. Ainda de acordo com Diogo, os homens também teriam roubado pertences das vítimas.

Segundo informações do G1

Leia também:

Comentários