Cidades

Estrangeiro é preso por importunação sexual na BR 153

Os policiais que estavam de plantão, pararam o ônibus que seguia da cidade de Palmas para Goiânia.

diario da manha
Foto: Reprodução

Um colombiano de 56 anos, foi preso na madrugada do último domingo (28), na BR 153, em Porangatu, região norte de Goiás suspeito de importunação sexual.

Ele foi preso pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), por praticar ato libidinoso contra uma passageira de um ônibus interestadual, a mulher fez a denúncia pelo número de emergência da PRF.

A vítima, uma mulher de 32 anos, afirma que por volta de 1h da madrugada, o passageiro que estava sentado ao seu lado passou a mão em sua perna, a mulher suspeitou que pudesse ser um ato involuntário de sono, mas a partir daquele momento passou a observá-lo. Ela afirma que logo em seguida, o homem tentou tocar em suas partes íntimas, colocando a mão entre as pernas dela.

Segundo a passageira, foi nesse momento que ela o advertiu, falando que iria denunciar à PRF. Após a vítima fazer a denúncia pelo número de emergência 191, os policiais que estavam de plantão na unidade de Porangatu, pararam o ônibus que seguia da cidade de Palmas para Goiânia.

Colombiano preso por importunação sexual estava armado com uma faca

Segundo informações da PRF, quando os agentes entraram no veículo, o estrangeiro ficou muito agitado e nervoso e, além disso, tentou pegar a mochila, onde ele tinha guardado uma faca. Quando foi detido pela PRF, o homem afirmou ter sido mal interpretado pela vítima.

De acordo com o colombiano, ele está no Brasil há muito tempo, não tem residência e nem trabalho fixo, ele estaria indo para Goiânia fazer tratamento médico. O homem foi detido e conduzido à delegacia da Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) de Porangatu, ele responderá pelo crime de importunação sexual Lei 13.718/18, cuja pena varia de 1 a 5 anos de reclusão.

Segundo a PRF, é de suma importância que ao serem vítimas ou testemunhas de práticas de atos libidinosos, os usuários da rodovia façam a denúncia pelo número de emergência 191.

Comentários