Cidades

Bebês trocados no Hutrin voltam para suas respectivas famílias

Os bebês foram devolvidos aos pais biológicos após exame de DNA que comprovou a troca.

diario da manha
Foto: Reprodução

Bebês trocados no Hospital de Urgências de Trindade (Hutrin), em Trindade, voltam para suas respectivas famílias nesta quinta-feira (1°). No final da tarde, o resultado dos exames de DNA comprovou que os bebês foram trocados ainda na maternidade. A destroca ocorreu em torno das 19h, na delegacia de Trindade.

“Com o DNA não há mais dúvida do erro e foi feito a destroca. Mas isso não encerra nosso trabalho. Vamos ouvir mais pessoas, um dos bebês chegou a ser registrado, então isso ainda precisa ser cancelado, mas nossa preocupação agora é com o psicológico dessas famílias”, afirmou a delegada do caso, Renata Vieira.

Apesar dos bebês terem menos de um mês de idade, a troca é um processo dolorido para ambas as famílias.

“Desde o início nossa preocupação foi com a parte emocional dessas famílias. Uma das avós disse que que o sentimento é como o de um velório. Agora, vamos continuar dando o apoio a essas famílias e seguindo com a investigação”, relatou o delegado André Fernandes.

Devido ao envolvimento emocional, as famílias pretendem manter contado. “Vamos assimilar a situação. Agora temos dois bebês. O amor não divide, multiplica”, disse Amanda Fátima Bueno, tia de uma das crianças envolvidas.

Segundo o advogado de uma das famílias, Alaor Lemes Mendanha, eles irão aguardar o fechamento do inquérito para buscar reparação dos danos causados aos casais.

“De certa forma, as famílias ficaram agradecidas por esse erro ter envolvido apenas duas famílias, porque se não, poderia ter um prejuízo ainda maior”, declarou o advogado.

Sobre o caso

Os bebês nasceram no dia 9 de julho, no Hutrin, com poucos minutos de diferença. De acordo com dados da Polícia Civil, os recém-nascidos foram entregues as mães erradas após o banho.

Foi assim que, por engano, os casais Pauliana Maciel e Genésio Vieira e Aline Alves e Murillo Lobo levaram os filhos trocados para suas respectivas casas.

Pauliana e Genésio desconfiaram após não reconhecer semelhanças entre eles e o bebê. Após o resultado negativo de um exame de DNA feito por conta própria, os dois registraram queixa na Polícia Civil.

Com a notícia da suspeita de troca, Aline e Murillo, que tiveram filho na mesma data, procuraram a delegacia. As famílias chegaram até a morar juntas na casa de Pauliana para ajudar na adaptação da destroca.

*Com informações do G1


Comentários

Mais de Cidades

29 de julho de 2019 as 16:33

Nota de Falecimento

15 de maio de 2019 as 15:55

16°CRPM EM AÇÃO

15 de maio de 2019 as 15:53

CPC EM AÇÃO