Cidades

Saneago recebe nota AA+ de agência internacional de classificação de crédito

Essa é a segunda melhor avaliação entre as fornecidas pela entidade

diario da manha
Foto: Secom

A agência internacional de classificação de crédito Moody’s concedeu, no último dia 28 de outubro, à Companhia Saneamento de Goiás S.A (Saneago) a nota AA+. Essa é a segunda melhor avaliação entre as fornecidas pela entidade.

No relatório emitido pela agência, foi levada em consideração a perspectiva estável para o futuro da empresa, fundamentada na geração de fluxo de caixa regular e previsível, pela oportunidade de crescimento e ainda pelo período consistente de duração da maioria dos contratos da empresa, administrada pelo Governo de Goiás.

A Moody’s ainda levou em consideração, as métricas de crédito da companhia e a estabilidade no abastecimento, mesmo diante dos recentes cenários de crise hídrica no Brasil, bem como os índices baixos em relação às perdas de água na distribuição.

Outros dois pontos apresentados pela agência para atribuição da nota foram a promoção do esgotamento sanitário universal e o fortalecimento da estrutura de governança, que permitiu ganho de credibilidade junto ao mercado financeiro.

“Quando se tem uma gestão competente, transparente, honesta e capaz, você responde à população”, afirma o chefe do Executivo estadual.

Números

De acordo com o balanço anual divulgado em março, de 2019 para 2020 a Saneago registrou um aumento de 38% em investimentos. A variação de custos e despesas ficou abaixo da inflação, o que significa gasto eficiente do dinheiro destinado para a estatal.

“O que tenho é que agradecer a confiança do governador na equipe atual da Saneago, na nossa diretoria, nos nossos gestores que têm feito de tudo para prestar o melhor serviço, com qualidade e regularidade à toda a população dos 226 municípios onde operamos. Não é fácil, mas estamos lá”, afirma o presidente da Saneago, Ricardo Soavinski.

Conforme o balanço, no ano passado, o índice de atendimento de pessoas com água tratada em Goiás passou para 97,4% da população, com um total de 62 mil economias de água. Em relação ao tratamento de esgoto, 64,7% da população recebe o serviço. Foram registradas ainda 64 mil economias neste setor.

“É muito comum, depois que as coisas são resolvidas, existir um certo esquecimento, como se as coisas tivessem acontecido por acaso. Não. Isso mostra como é quando se tem gestão. É isso que quero concluir. Quando se tem gestão e não um projeto de poder de ordem pessoal, para usar o Estado como máquina de campanha eleitoral, a população reconhece os resultados”, finaliza o governador.

Leia também:

Comentários