Cotidiano

Guarda Civil é afastado após jogar spray de pimenta em mãe e filho durante abordagem

Parentes que presenciaram tudo, negaram que o garoto fez algo que necessitasse do uso do spray de pimenta

diario da manha
Foto/Reprodução

A abordagem dos guardas civis aconteceu no último domingo (19), quando a equipe foi acionada, após uma denúncia de que uma barraca de espetinho estaria de forma irregular no Parque Mutirama, em Goiânia.

Cenas da ação policial foram gravadas, houve discursão entre a mãe, o filho de 16 anos, e os guardas. Em um dos trechos, um GCM puxa o adolescente pela camiseta e o joga no chão. Logo após, o guarda joga Spray de pimenta nos olhos do garoto, que imediatamente se joga no chão, gritando de dor. Para tentar protege o filho, a mãe entra no meio e também é atingida (propositalmente) pelo Spray.

A outra filha, da mulher, presencia tudo. Ela ainda exclama que não havia somente a barraca da família dela no local, porém o guarda diz que somente a deles seriam barrada. No vídeo, a moça ainda grita pedindo ajuda após a mãe e o irmão serem atingidos pelo Spray de pimenta. “Aqui, gente! Socorro! Socorro!”.

Os GCMs disseram que o adolescente se recusou a se identificar na abordagem, além de tentar pegar a arma de fogo do guarda. Por isso, segundo a corporação, o uso do spray foi necessário como forma de “alerta”. Porém, os parentes e responsáveis pela barraquinha disseram que, em momento algum, o rapaz tentou pegar a arma, e ainda, que o garoto estava com as mãos para trás quando foi atingido pelo spray.

A Guarda Civil informou que não compactua com situações de abuso de autoridade.

“Caso comprove-se irregularidades na ação dos servidores, eles serão exemplarmente punidos dentro do previsto do Código de Ética e do Regimento Interno da GCM. Os agentes já foram retirados do serviço operação e encaminhados para a área administrativa da corporação”, disse em nota.

A GCM ainda relatou que, sobre a ação dos guardas, a investigação será feita apenas pela Corregedoria da GCM, a qual instaurou um processo, com o objetivo de esclarecer a ocorrência e saber se houve excesso ou abuso de autoridade. A Guarda Civil Metropolitana (GCM) afastou das ruas os servidores que participaram de uma abordagem dos ambulantes.

O adolescente foi levado para a Central de Flagrantes de Goiânia, onde ficou apreendido até às 20h. Foi feito um boletim circunstanciado de ocorrência pela ato infracional análogo ao crime de desobediência, sem necessidade de pagamento de fiança e o adolescente foi liberado.

Leia Também

Comentários