Brasil

Caso João de Deus: mulheres que denunciaram crimes sexuais são ouvidas

O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) já denunciou o religioso 15 vezes por crimes sexuais. João Teixeira de Faria já foi condenado por abusr de dez mulheres

diario da manha

A Justiça ouve, nesta quinta-feira, 07, mulheres que denunciaram os crimes sexuais cometidos por João de Deus. O religioso já foi condenado seis vezes, sendo cinco delas por abusos durante atendimentos espirituais em Abadiânia, Entorno do Distrito Federal. O idoso cumpre prisão domiciliar na casa que tem em Anápolis.

O advogado que representa João de Deus, Anderson Van Gualberto informou que há a confirmação de dois depoimentos e acompanha as falas das mulheres nesta manhã. O acusado nega ter cometido qualquer abuso sexual contra mulheres durante os atendimentos espirituais que realizou durante anos na Casa Dom Inácio de Loyola.

O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) já denunciou o religioso 15 vezes por crimes sexuais. João Teixeira de Faria já foi condenado por abusar de dez mulheres. Em juízo, restam 12 denúncias, as quais envolvem 56 mulheres, que ainda aguardam o julgamento. De acordo com o Tribunal de Justiça, ele já foi condenado por posse ilegal de arma de fogo, crimes sexuais, violação sexual mediante fraude, estupro e estupro de vulnerável.

A primeira mulher a denunciar publicamente que foi sexualmente abusada por João de Deus foi Zahira Leeneke Maus, uma coreógrafa holandesa. Ela contou que o fasto ocorreu quando esteve em Abadiânia para receber um atendimento espiritual. A mulher disse ainda que ouviu relatos de outras mulheres e concluiu que havia um sistema para as vítimas. Uma força-tarefa foi criada para investigar os crimes descritos em mais de 300 relatos recebidos.

Segundo informações do G1

Leia também:

Comentários