Opinião

Comunicação

diario da manha

O abuso de celulares e smartfones é uma realidade nos dias atuais. Muita gente perde tempo em assuntos superficiais junto a estes aparelhos. Quando não se aprofunda um assunto, surge a superficialidade. Quem sabe um pouco de tudo não sabe nada profundamente. A mudança de assuntos gera uma comunicação com rupturas. Estas abrem dificuldades de interpretação no diálogo. O excesso de assuntos e de ideias novas não permite uma comunicação que flui naturalmente. Os aparelhos chamados tablets e smartfones viciam as pessoas a não comunicarem bem. Na verdade, gera-se frustração maior quando o amor, que requer tempo e paciência, não é amado!

(Paulo Roberto Girão Lessa, via e-mail)

 


 

 

A crise existe

Algumas cidades do interior do Estado do Ceará diminuíram sua população segundo o último senso demográfico. Isto acontece porque a educação é carente nestes lugares. A saúde pede socorro e a segurança é insegura. A população migra para a capital e cidades maiores em busca de segurança, trabalho, saúde pública e educação de qualidade. Na cidade grande não há nada disso. Mas se tem a ilusão que se vive melhor. A população passou de 90 para 120 milhões de habitantes em poucos anos. Temos um povo mais exigente de qualidade de trabalho, mas com muito desemprego e carestia. A crise existe! A solução primeira é aceitá-la.

(Paulo R. Girão Lessa, via e-mail)

 


 

Discriminação racial

O preconceito tenta criar privilégios para um grupo. Negros, homossexuais, adeptos de uma religião e outros grupos discriminados sofrem a acepção e são subtraídos de seus direitos. Nos tempos atuais, o direito das minorias ou maiorias discriminados é colocado em evidência. Privilégios não serão aceitos e todos são iguais perante a Deus e a lei. A luta é antiga. A abolição da escravatura foi uma luta de escravocratas que temiam perder a mão de obra e de liberais que viam no negro irmãos que mereciam a liberdade. Hoje, trabalhadoras domésticas têm seu direito no papel. Mas criam-se mecanismos de perpetuação da escravidão. Diaristas são tratadas como sem direitos! A luta continua pela igualdade e liberdade.

(Paulo R. Girão Lessa, via e-mail)

 


 

Qualquer semelhança não é mera coincidência

Qualquer semelhança entre as ideias do pessoal do PT e seus aliados que governam o Brasil desde 2002,  com as ideias de Vladmir Lenin, líder comunista que governou a Rússia em 1917, não é mera coincidência. Compare o que disse Lenin em 1917 com a lavagem cerebral  que Lula, Dilma e seus seguidores estão empurrando goela abaixo do povo brasileiro  “1- Corrompa a juventude e dê-lhe liberdade sexual. 2- Infiltre e depois controle todos os meios de comunicação social. 3- Divida a população em grupos antagônicos, incitando-os a discussões sobre assuntos sociais. 4- Destrua a confiança do povo nos seus líderes. 5- Fale sempre de democracia e de estado de direito, mas, logo que haja oportunidade, assuma o poder sem nenhum escrúpulo. 6- Colabore para o esbanjamento do dinheiro público; coloque em descrédito a imagem do país, especialmente no exterior, e provoque o pânico e o desassossego na população por meio da inflação. 7-  Promova greves, mesmo ilegais, nas indústrias vitais do país. 8- Promova distúrbios e contribua para que as autoridades constituídas não os coíbam. 9- Contribua para a derrocada dos valores morais, da honestidade e da crença nas promessas dos governantes. Os nossos parlamentares infiltrados nos partidos democráticos devem acusar os não comunistas, obrigando-os, sem pena de expô-los ao ridículo, a votar somente no que for do interesse da causa socialista. 10- Procure catalogar todos aqueles que possuam armas de fogo, para que elas sejam confiscadas no momento oportuno, tornando impossível qualquer resistência à causa”. Acorda Brasil.

(Leônidas Marques, via e-mail)

 


 

 

Fuzilamento na Coreia do Norte

A presidente Dilma Rousseff, do PT, fez tantos estardalhaços com o fuzilamento dos dois brasileiros traficantes, presos, julgados com amplos direitos de defesa, condenados à morte e executado por fuzilamento na Indonésia, foi alvo de muitas críticas demagógicas e até de maus-tratos ao embaixador da Indonésia em Brasília, prejudicando o bom nome da diplomacia que o Brasil sempre teve. A presidente Dilma, a deputada Jandira Fegali e o deputado Aldo Rabelo, ambos do PCdoB, também não perderam a oportunidade para fazer as suas costumeiras demagogias enviando mensagens de solidariedade às famílias dos executados se colocando como contra a pena capital para os dois brasileiros traficantes. Porém, não fiquei sabendo que nenhum desses falsos amigos se solidarizaram com as milhares de vítimas do genocida Fidel Castro e agora mais recente, neste ano, o ditador comunista da Coreia do Norte, Kim Jong-un, já executou 16 pessoas, um deles era o seu próprio tio participante da equipe do seu governo, e agora mais recente, o seu ministro da Defesa, general Hyon Yong-cho, acusado de traição e desrespeito à pátria por ter cochilado em um dos seus eventos. É isso que o PT e o PCdoB querem para o Brasil?

(Benone Augusto de Paiva, via e-mail)

 


 

 

Prevenção ao suicídio

Poucos têm a coragem de enfrentar a fúria dos materialistas que insistem em dizer que a morte é um fim. Na verdade pensamos que desencarnar é um começo e devemos preparar uma nova vida no futuro “endereço” em que iremos morar. Viver é esperar a morte! E morrer é iniciar um estado natural de vida: a vida espiritual. O suicídio é antecipação dos fatos e desequilíbrio, no início de um tempo de reparações. Não somos donos de nosso envoltório carnal. Ele pertence à mãe natureza que nos empresta por um tempo de vida na crosta terrestre neste planeta de expiações e provas. Morrer antes do tempo nos levaria a sofrer mais e a demorar mais o tempo do resgate de nossa alma. Não é para esmorecer, desistir ou enfraquecer. Quem inicia uma caminhada deve ir até a chegada! Pense nas pessoas que ficam aqui ou mesmo no animal de estimação. Deus não desiste de nenhum filho seu! Para que desistir da nossa vida?

(Paulo R. Girão Lessa, via e-mail)

 


 

Violência

Fortaleza é uma cidade violenta. Em todo Brasil explode a violência. A nossa história é cheia de injustiças e violências. A escravidão, que foi um exemplo de tráfico de pessoas, é repleta de torturas e separações de entes queridos. Hoje, como já o papa João Paulo II, os pobres estão mais pobres às custas dos ricos cada vez mais ricos. A solução é a distribuição de renda com educação para o trabalho e para a saúde. A dívida social é grande para uma grande parcela do povo que necessita receber o que é necessário para uma vida digna. Violência é o último grito de quem não tem muito a perder! Vamos resgatar os direitos de quem merece!

(Paulo R. Girão Lessa, via e-mail)

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 22:23

Brasília – Prazo de validade vencido

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar