Politica

Manuela D'Ávila descarta concorrer a uma vaga no Senado

Mesmo não participando das eleições, Manuela deve continuar atuando em apoio aos candidatos de esquerda, principalmente no Rio Grande do Sul

diario da manha
Foto: Adriano Vizoni

Ex-deputada federal pelo Rio Grande do Sul Manuela D’Ávila (PCdoB), afirmou neste sábado, 28, pelas redes sociais que não pretende concorrer a cargo público nas eleições de 2022. O nome da política, que foi companheira de chapa de Fernando Haddad (PT) na disputa presidencial de 2018, era cogitado para o Senado este ano.

De acordo com Manuela, não se trata de uma desistência, pois ela nunca chegou a afirmar que pleitearia qualquer cargo eletivo neste ano.

“Sei da importância desse processo eleitoral e entendo a expectativa criada a partir de convites que recebi. Todas as nossas lutas, sejam eleitorais ou não, foram e são importantes para acumularmos forças para esse momento mais favorável que vivemos agora”, afirmou Manuela.

Mesmo não participando das eleições, Manuela deve continuar atuando em apoio aos candidatos de esquerda, principalmente no Rio Grande do Sul, região em que ela tem maior influência.

Entre os motivos para não concorrer, a politica afirmou que recebeu ameaças contra sua família há alguns anos. O último cargo público ocupado pela comunista foi uma cadeira na Assembleia Legislativa do RS, entre 2015 e 2018.

“Estive na linha de frente nas eleições majoritárias de 2018 e 2020. Sabemos como esses processos foram duros e violentos para mim e para minha família”, afirmou Manuela.

Manuela D’Ávila tem 40 anos, é jornalista e na política foi vereadora em Porto Alegre, deputada federal e deputada estadual. Concorreu três vezes à prefeitura da Capital, sendo derrotada em todas as ocasiões, e foi candidata a vice na chapa de Fernando Haddad em 2018, quando foram vencidos por Jair Bolsonaro.

Com informações G1

Leia também:

Comentários